Compartilhe!

Náutico/twitter (@nauticope)

A arrecadação da campanha Voltando pra Casa chegou a meio milhão de reais. Após cinco meses no ar, mais de dois mil alvirrubros contribuíram para fomentar a obra de requalificação do estádio dos Aflitos. O período contabilizado vai do lançamento, em 22 de fevereiro, até 1º de agosto, com uma contribuição média de R$ 241,6 por torcedor.

O dado soa emblemático, mas na prática representa 1/10 da projeção do Náutico para a conclusão da primeira etapa, na ordem de R$ 5 milhões – já apta para a reabertura oficial do Eládio de Barros Carvalho. Naturalmente, o clube captou receitas em outras fontes, incluindo parcerias com a Pamesa (cerâmica e revestimento) e Iquine (pintura), mas tem – ou deveria ter – na torcida o principal vetor de recursos.

Entre as contribuições registradas no site, através de produtos e participações, boa parte ocorreu logo nos três primeiros dias: R$ 200 mil, ou 39%. Foram 909 participações nessa largada, com mais 1.162 pessoas nos 158 dias seguintes – de certa forma, lembra a venda de novos uniformes, com maior saída no lançamento.

Dias/arrecadação acumulada (nº de contribuintes)
1 = R$ 111.890 (479 pessoas)
2 = R$ 150.078 (657 pessoas)
3 = R$ 200.031 (909 pessoas)
100 = R$ 424.643 (1.871 pessoas)
161 = R$ 500.363 (2.071 pessoas)

Em relação às obras, o campo, o setor de cadeiras e a pintura estão na reta final, seguidos do reforço na estrutura, das novas saídas e do alambrado de vidro. Inicialmente, a ideia era reabrir em maio, prazo estourado. Com a Série C na reta final, o timbu segue mandando os seus jogos na Arena Pernambuco, com a volta para casa, de fato, possivelmente num evento à parte – até porque seria mais fácil monetizar, com todos os direitos reservados ao clube.

Náutico/twitter (@nauticope)


Compartilhe!