Compartilhe!

Torcidas jovens de Bahia, Sport e Ceará

A intensa presença jovem na Fonte Nova, na Ilha do Retiro e no Castelão. Fotos: clubes/divulgação.

Além dos percentuais absolutos, as pesquisas de torcida costumam apresentar estratos de faixa etária considerando o público entrevistado, com gente de 16 anos até mais de 60 anos. A faixa que costuma chamar mais a atenção na análise é justamente a primeira, de 16 a 24 anos, que indica cenários de transformação a médio e longo prazos. Um exemplo está no próprio líder geral da última pesquisa nacional, d’Globo/Ipec. O Flamengo tem 21,8% da preferência no país, mas entre os mais jovens o domínio é ainda maior, chegando a 26,2%. Mais que o dobro do Corinthians.

Ou seja, lá pra frente, a massa do Fla não só continuará enorme como deverá ser mais dominante no futebol brasileiro – e o cenário já se aplica sobre os rivais locais, com Bota e Flu com apenas 0,3%. Pois bem, neste indicativo, o terceiro abordado pelo blog nesta pesquisa, vale o destaque para a posição do Sport, em 9º lugar do país. Me parece uma consequência direta do título da Copa do Brasil de 2008, cujo público analisado era formado por crianças de até 10 anos na época. Em tese, os últimos anos, ruins, podem impactar só a próxima geração.

A situação do rubro-negro pernambucano entre os jovens é bem melhor em relação ao ranking geral do clube, com todas as faixas, no qual apareceu em 14º lugar. E outros nordestinos foram bem neste recorte. Afinal, são 2 times entre 12 primeiros, deixando Bota e Flu, do anacrônico “G12”, bem abaixo. Ampliando, são 5 nordestinos entre os 16 primeiros. Ainda no Recife, o Santa Cruz aparece em 14º lugar, subindo 6 posições sobre a sua colocação geral. Apesar da péssima fase atual, na Série D, o tricolor pernambucano ganhou 5 títulos estaduais entre 2011 e 2016, além da Copa do Nordeste, renovando bem o seu público ali. Em contrapartida, não figuraram na divulgação do Ipec nomes tradicionais como Vitória e Náutico, ambos com uma década difícil em termos de conquistas e resultados regionais.

Comparativo entre as faixas etárias

Eis a evolução em pontos percentuais da faixa de 16/24 anos sobre a média geral dos nordestinos n’O Globo/Ipec: +0,9 Ceará, +0,8 Sport, +0,4 Santa, -0,3 Bahia e -0,6 Fortaleza. O maior aumento foi o do Flamengo, com +4,4 pontos. Abaixo, as últimas duas pesquisas nacionais que divulgaram o ranking desta faixa etária, com os 18 maiores. No geral, o Ipec ouviu 2.000 pessoas em julho de 2022, enquanto o Datafolha ouviu 2.878 em agosto de 2019. Na pesquisa mais recente, a margem de erro é de 2%. Já no Datafolha há a singularidade de não haver casas decimais, pois o instituto sempre arredonda. No caso, dando um exemplo, o Sport também havia figurado no top ten há três anos, mas empatado com cinco clubes.

Ipec 2022 // As maiores torcidas do Brasil entre 16 e 24 anos
1º) Flamengo – 26,2%
2º) Corinthians – 12,9%
3º) São Paulo – 9,2%
4º) Palmeiras – 5,4%
5º) Vasco – 4,8%
6º) Cruzeiro – 4,4%
7º) Santos – 3,4%
8º) Grêmio – 2,4%
9º) Atlético-MG – 2,0%
9º) Sport – 2,0%
11º) Internacional – 1,7%
11º) Ceará – 1,7%
13º) Bahia – 1,4%
14º) Santa Cruz – 1,0%
14º) Coritiba – 1,0%
16º) Fortaleza – 0,7%
17º) Botafogo – 0,3%
17º) Fluminense – 0,3%

Datafolha 2019 // As maiores torcidas do Brasil entre 16 e 24 anos
1º) Flamengo – 25%
2º) Corinthians – 16%
3º) São Paulo – 11%
4º) Palmeiras – 5%
5º) Cruzeiro – 4%
6º) Vasco – 3%
6º) Grêmio – 3%
6º) Santos – 3%
9º) Internacional – 2%
10º) Atlético-MG -1%
10º) Botafogo – 1%
10º) Bahia – 1%
10º) Fluminense – 1%
10º) Sport – 1%
10º) Ceará – 1%
16º) Vitória – menos de 1%
16º) Fortaleza – menos de 1%
16º) Santa Cruz – menos de 1%

Leia mais sobre a pesquisa O Globo/Ipec
Pesquisa de torcida O Globo/Ipec tem 6 clubes nordestinos acima de 1 milhão; Bahia em 11º

A evolução das maiores torcidas do Nordeste a cada 3 anos; 10 milhões nos clubes locais


Compartilhe!