Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

O 2º gol de Paquetá no torneio e a 3ª assistência de Neymar. Foto: Lucas Figueiredo/CBF.

Sede em 1919, 1922, 1949, 1989 e 2019, o Brasil sempre venceu a Copa América atuando em casa. Em 2021, abrigando o torneio pela 6ª vez, esta de maneira excepcional, a Seleção está mais uma vez na disputa pelo título, podendo manter a escrita centenária. A presença foi confirmada após a vitória por 1 x 0 sobre o Peru, com gol de Lucas Paquetá após grande jogada de Neymar. Ocorreu num ótimo 1T, com 7 x 0 em finalizações na barra. No 2T, o futebol do time caiu no Nilton Santos, mas foi insuficiente para resultar numa reação efetiva dos peruanos.

Com isso, o time de Tite irá novamente a campo no sábado, no Maracanã, em busca do 10º título da Copa América, contando todas as edições – a Seleção participa pela 37ª vez em 47 edições. Assim, busca a aproximação de Uruguai (15x) e Argentina (14x), com muitos títulos dos rivais ainda na primeira metade do Século XX. Especificamente num recorte sobre “finais”, o Brasil chega pela 13ª vez, tentando levar a taça pela 9ª vez neste formato. Na transmissão do SBT se falou em 16 vezes. Então, vamos à explicação do blog sobre esta diferença.

Somando todos os títulos (9) e vices (11) da Seleção, esta deveria ser, em tese, a 21ª final do país no campeonato sul-americano de futebol. Entretanto, vários torneios foram disputados em turnos únicos ou contaram com quadrangulares na fase decisiva. Logo, nem sempre o título veio numa final. Considerando apenas as decisões e os jogos extras, a regra do passado em caso de empate na pontuação dos turnos, 8 títulos foram obtidos desta forma. A exceção foi em 1989, numa copa também encerrada no Maracanã, com o triunfo brazuca sobre o Uruguai. Na ocasião, eram os dois times com chance de título na última rodada da fase final.

Já em relação aos vices, a conta cai para apenas 4. Dois deles foram em desempates, em 1937 e 1953. O terceiro aconteceu num formato de vida efêmera, com jogos de ida e volta, sem sede fixa. Na final de 1983, o Brasil perdeu a ida no Centenário e ficou num empate com o Uruguai na volta, realizada na Fonte Nova. Por fim, a última derrota numa final continental ocorreu em 1995, também para os charrúas, nos pênaltis. Agora em 2021, então, a Seleção chega a uma decisão oficial pela 13ª vez. Pela frente, argentinos ou colombianos…

As 13 finais da Seleção Brasileira na Copa América
1ª) 1919 – Brasil 1 x 0 Uruguai (1º título)*
2ª) 1922 – Brasil 3 x 0 Paraguai (2º título)*
3ª) 1937 – Argentina 2 x 0 Brasil*
4ª) 1949 – Brasil 7 x 0 Paraguai (3º título)*
5ª) 1953 – Paraguai 3 x 2 Brasil*
6ª) 1983 – Uruguai 1 x 1 Brasil**
7ª) 1995 – Uruguai (5) 1 x 1 (3) Brasil
8ª) 1997 – Brasil 3 x 1 Bolívia (5º título)
9ª) 1999 – Brasil 3 x 0 Uruguai (6º título)
10ª) 2004 – Brasil (4) 2 x 2 (2) Argentina (7º título)
11ª) 2007 – Brasil 3 x 0 Argentina (8º título)
12ª) 2019 – Brasil 3 x 1 Peru (9º título)
13ª) 2021 – Brasil vs Argentina ou Colômbia
*Jogo-desempate
** Placar do jogo de volta. Na ida, URU 2 x 0

Histórico do Brasil na Copa América
190 jogos em 37 participações
108 vitórias
38 empates
44 derrotas
430 GP e 203 GC
63,5% de aproveitamento

Brasil de Tite, de 09/2016 a 07/2021
60 jogos* (42 sem sofrer gols)
45 vitórias
11 empates
4 derrotas
127 GP e 21 GC
81,1% de aproveitamento
* Pós-Mundial 2018 (34 jogos): 25V, 7E e 2D

Leia mais sobre o assunto
A tabela da inesperada Copa América no Brasil, com foco no Centro-Oeste e Rio de Janeiro

Financiamento coletivo
Confira a campanha de apoio financeiro ao blog, com jornalismo 100% independente

Abaixo, assista aos melhores momentos de Brasil 1 x 0 Peru, num vídeo da Conmebol.


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •