Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

Principais nomes do torneio, Neymar e Messi responderam à expectativa. Fotos: Conmebol/Twitter.

Pela 4ª vez na história, a final da Copa América reúne brasileiros e argentinos, num duelo cuja história representa o maior clássico do futebol mundial. Ou, melhor dizendo, o superclássico. Numa Copa América realizada às pressas, com a troca da sede de 2021 de última hora, ao menos chega-se ao ápice com o melhor jogo possível. E tende a ser mesmo um grande jogo.

Pelo Brasil, com 5V e 1E, Neymar marcou 2 gols e deu 3 assistências, uma delas na semifinal, contra o Peru. Pela Argentina, com 4V e 2E, Messi já fez 4 gols e deu 5 assistências, fora a cobrança perfeita nas penalidades contra a Colômbia, também na semi. Salvo um desempenho excepcional de Neymar na final, o camisa 10 dos hermanos deve ser eleito, com justiça, o craque da edição.

No Maracanã, às 21h de sábado, o time verde e amarelo tentará manter a escrita como país-sede, condição assumida pela 6ª vez. O Brasil ficou com o título nas cinco anteriores. Além disso, esta pode ser a 10ª conquista do campeonato sul-americano. Com o “deca”, seguiria a aproximação de Uruguai (15x) e Argentina (14x), cuja maioria dos títulos foi obtida ainda na primeira metade do século XX. Quanto à equipe albiceleste, a necessidade de ser campeã.

Assim como o Brasil, a Argentina é uma das seleções mais vitoriosas do mundo. No entanto, não ganha um título oficial desde a Copa América de 1993. Um jejum perto de 30 anos. De lá pra cá já foi vice sete vezes, somando Copa América (4x), Copa das Confederações (2x) e Copa do Mundo (1x). E o Brasil foi carrasco em três oportunidades, diga-se. Jogos vivos na memória.

Falando em decisões entre BRA e ARG, esta será a 5ª final oficial, sendo a 4ª na Copa América. Os hermanos só venceram a primeira, em 1937. Depois deu Brasil em 2004 e 2007. E ainda teve o chocolate de 4 x 1 na Copa das Confederações em 2005. Ao todo, somando torneios amistosos entre as seleções principais, será a 27ª decisão valendo taça, com boa vantagem brazuca: 17 x 10. A conta não bate? Sim, teve um título dividido – veja a lista abaixo.

Os torneios extraoficiais
Na história, a maior parte das taças foram em disputas restritas aos dois países, com 21 decisões do tipo, ou 77%. É a soma da extinta Copa Roca (15 edições) com o Superclássico das Américas, justamente a releitura da própria Copa Roca (6 edições). A base da rivalidade centenária, diga-se. Inicialmente organizada pela CBF e pela AFA, as últimas duas edições foram realizadas na Arábia Saudita, já sendo promovidas pela federação local. Inclusive foi em Riad o último clássico, em 15 de novembro de 2019, com vitória dos vizinhos por 1 x 0, gol de Messi. Deveria ter ocorrido outro jogo depois, em março de 2021, na Arena Pernambuco, pelas Eliminatórias da Copa, mas foi adiado devido à pandemia da Covid-19. Agora, finalmente haverá o 108º confronto. E vale muito.

Histórico geral do Superclássico das Américas (amistosos + torneios)
107 jogos
42 vitórias brasileiras (39,2%)
26 empates (24,2%)
39 vitórias argentinas (36,4%)

Todas as finais entre brasileiros e argentinos (torneios oficiais e amistosos)
1ª) 1914 – Brasil (Copa Roca)
2ª) 1922 – Brasil (Copa Roca)
3ª) 1923 – Brasil (taça amistosa)
4ª) 1923 – Argentina (Copa Roca)
5ª) 1937 – Argentina (Copa América)
6ª) 1939 – Argentina (Copa Roca)
7ª) 1940 – Argentina (Copa Roca)
8ª) 1945 – Brasil (Copa Roca)
9ª) 1957 – Brasil (Copa Roca)
10ª) 1960 – Brasil (Copa Roca)
11ª) 1963 – Brasil (Copa Roca)
12ª) 1971 – Título dividido (Copa Roca)
13ª) 1976 – Brasil (Copa Roca)
14ª) 1993 – Argentina (taça amistosa)
15ª) 1995 – Brasil (taça amistosa)
16ª) 1999 – Argentina (taça amistosa)
17ª) 1999 – Argentina (taça amistosa)
18ª) 2004 – Brasil (Copa América)
19ª) 2005 – Brasil (Copa das Confederações)
20ª) 2007 – Brasil (Copa América)
21ª) 2011 – Brasil (Superclássico das Américas)
22ª) 2012 – Brasil (Superclássico das Américas)
23ª) 2014 – Brasil (Superclássico das Américas)
24ª) 2017 – Argentina (Superclássico das Américas)
25ª) 2018 – Brasil (Superclássico das Américas)
26ª) 2019 – Argentina (Superclássico das Américas)
27ª) 2021 – A definir (Copa América)

Eis as respectivas listas de títulos em finais contra o arquirrival…

Seleção Brasileira vs ARG, 17 títulos
Oficiais (3)
1x na Copa das Confederações (2005)
2x na Copa América (2004 e 07)

Extraoficiais (12)
8x na Copa Roca (1914, 22, 45, 57, 60, 63, 71 e 76)
4x no Superclássico das Américas (2011, 12, 14 e 18)

Amistosos (2)
Taça Confraternidade Brasil-Argentina (1923)
Copa 50 anos do jornal Clarín (1995)

Seleção Argentina vs BRA, 10 títulos
Oficiais (1)
1x na Copa América (1937)

Extraoficiais (6)
4x na Copa Roca (1923, 39, 40 e 71)
2x no Superclássico das Américas (2017 e 19)

Amistosos (3)
Copa Centenário da AFA (1993)
Copa Coca-Cola (1999)
Copa 35 anos do jornal Zero Hora (1999)

Scout de títulos no Superclássico
Oficiais: BRA 3 x 1 ARG
Extraoficiais: BRA 12 x 6 ARG*
Amistosos: ARG 3 x 2 BRA
Total: BRA 17 x 10 ARG*
* Inclui 1 título dividido

Leia mais sobre o assunto
A tabela da inesperada Copa América no Brasil, com foco no Centro-Oeste e Rio de Janeiro

Financiamento coletivo
Confira a campanha de apoio financeiro ao blog, com jornalismo 100% independente


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •