Compartilhe!

Náutico 1 x 1 Guarani na Série B 2022

O timbu só melhorou a sua marcação no 2º tempo. Foto: Marlon Costa/Guarani.

Voltando as atenções à Série B, após a comemoração do bicampeonato estadual, o Náutico foi com uma escalação diferente, tanto pelo desgaste da final local quanto pelas opções a mais na competição nacional. Numa noite com dois tempos bem distintos, o timbu insistiu bastante para empatar no último lance. Evitou a derrota, mas desperdiçou a chance de entrar no G4.

Sobre o jogo, o time teve apenas Rhaldney de volante no 1T. Assim, o Náutico acabou rendendo bem aquém do esperado. Nem atacou de forma precisa, com Eduardo Teixeira apagado e Jean tecnicamente mal, e nem foi seguro na defesa. Na verdade, o Guarani foi bem mais organizado, abrindo o placar com Bruno José e ainda mandando uma bola na trave. No 2T, entendendo que a escalação não funcionou, Roberto mexeu no time – poderia ter feito até antes do intervalo.

Na retomada, o alvirrubro melhorou bastante, passou a jogar próximo à área do clube paulista e finalizou muito mais, mas ia parando no goleiro Kozlinski e na trave, duas vezes. Até que, aos 49, Rhaldney achou um cruzamento na linha de fundo, o goleiro do bugre cometeu a sua única falha na partida e Amarildo aproveitou, 1 x 1. De certa forma, fez justiça ao scout, com 27 x 12 em finalizações a favor do timbu, sendo 18 x 4 na etapa complementar, quando teve 72% de posse, segundo o SofaScore. Encerrando a 5ª rodada, embora a 6ª já tenha começado com um jogo isolado, com triunfo do Bahia, o Náutico tem 2V, 1E e 2D, com 7 pontos e em 7º lugar.

Invencibilidade do timbu no duelo

Com o resultado final em Rosa e Silva, o Náutico ampliou a sequência sem derrota para o Guarani. Agora são 6 jogos, sendo a maior invencibilidade do alvirrubro neste confronto. Com 4V e 2E, a sequência entre 2017 e 2022 superou a marca construída entre 2005 e 2011, com 4V e 1E. Os dois times voltam a se enfrentar na 24ª rodada do BR, lá no Brinco de Ouro.

Escalação do Náutico (melhores: Rhaldney e Ralph; piores: Eduardo e Thássio)
Lucas Perri; Thássio (Victor Ferraz), Carlão, Bruno Bispo e Júnior Tavares; Rhaldney, Eduardo Teixeira (Ralph) e Jean Carlos; Niltinho (Pedro Vitor), Luis Phelipe (Ewandro) e Léo Passos (Amarildo). Técnico: Roberto Fernandes

Escalação do Guarani (melhores: Bruno, Yago e Diogo Mateus)
Maurício Kozlinski; Diogo Mateus, João Victor, Ronaldo Alves e Matheus Pereira (Eliel); Leandro Vilela, Rodrigo Andrade (Índio) e Eduardo Person (Derlan); Bruno José (Yago), Júlio César (Ronald) e Nicolas Careca. Técnico: Daniel Paulista

Histórico geral de Náutico x Guarani (todos os mandos)
24 jogos
9 vitórias alvirrubras (37,5%)
5 empates (20,8%)
10 vitórias paulistas (41,6%)

Leia mais sobre o assunto
A tabela de jogos do Náutico no Campeonato Brasileiro da Série B de 2022

A análise sobre o bicampeonato estadual do Náutico, batendo o Retrô “2 vezes”


Compartilhe!