Compartilhe!

O meia Danilo Pires, ex-Santa, partindo para definir a vaga sergipana na semi. Imagem do Live FC.

Em sua 12ª participação na Copa do Nordeste, o Confiança já havia garantido a melhor campanha de sua história ao passar da fase de grupos pela primeira vez. Em Feira de Santana, num jogo tenso contra o Santa Cruz, o time proletário foi além. Segurou a pressão do tricolor pernambucano no tempo normal, incluindo duas bolas na trave, com empate sem gols se estendendo às penalidades. Certeiro nas cobranças, o time de Aracaju fez 4 x 2 e avançou para a semifinal – com Pipico (por cima) e Patrick Nonato (defesa de Rafael) desperdiçando para os corais.

Esta é apenas a segunda presença do estado de Sergipe no G4 em 17 edições do torneio regional – a campanha anterior havia sido com o rival Sergipe, em 2000. Vinte anos depois, um rendimento consistente. Trata-se de mais um tijolo neste processo de reconstrução da Associação Desportiva Confiança, que subiu da D pra C em 2014 e da C pra B em 2019, voltando à segunda divisão nacional após 28 anos.

Agora, se insere de fato na disputa pelo inédito título regional, algo bem distante da realidade do clube há alguns anos. Após o acesso na Série C, o clube manteve a base para esta temporada. E este significa uma política de pés no chão de forma absoluta. Tanto que a sua folha é de cerca de R$ 220 mil. Adversário nas quartas, no Joia da Princesa, o Santa, ainda na C, tem uma folha de R$ 450 mil – entre os 16 participantes da Lampions desta temporada, o Confiança figura apenas com 13ª folha de pagamento. Bom, barato e com resultado.

Curiosidade 1
Com a vaga na semi, o Confiança recebeu uma premiação de R$ 375 mil. Somando as cotas da 1ª fase (R$ 775 mil) e das quartas (R$ 300 mil), o clube já faturou R$ 1,45 milhão nesta edição. Em 2019, quando caiu na 1ª fase, o time ganhou R$ 1,635 milhão – a distribuição mudou este ano.

Curiosidade 2
Lembrando que este foi um duelo entre o 1º e o 4º do grupo B. No caso, Confiança e Santa. O time sergipano segue com 4V, 3E e 2D (jogará quarta, às 19h30), enquanto o tricolor do Arruda se despede com 4V, 2E e 3D. Agora, o Santa volta as atenções à semi do Estadual.

Curiosidade 3
Santa Cruz e Sport foram eliminados no mesmo dia, nos pênaltis, depois do empate em 0 x 0. Assim, Pernambuco deixou o Nordestão de 2020 neste sábado. Considerando a volta oficial do torneio, em 2013, esta é apenas a 3ª vez que o estado não chega ao G4 final.

Escalação do Confiança
Rafael Santos; Thiago Ennes, Nirley (Luan), Matheus Mancini e Djalma Silva; Jefferson Lima, Amaral e Ítalo (Everton); André Moritz (Renan), Ari Moura e Reis. Técnico: Matheus Lima

Escalação do Santa Cruz
Maycon Cleiton; Toty, Wiliam Alves (Célio Santos), Danny Morais e Fabiano; Jeremias (Patrick Nonato), André (Bileu) e Paulinho; Didira, Victor Rangel (Kleiton) e Pipico. Técnico: Itamar Schülle

Histórico geral de Confiança x Santa Cruz (todos os mandos)
28 jogos
19 vitórias tricolores (67,8%)
8 empates (28,5%)
1 vitória sergipana (3,5%)

Campanhas do Santa na volta do Nordestão (entre parênteses, a premiação)
2013 – Quartas de final (R$ 300 mil)
2014 – Semifinal (R$ 850 mil)
2015 – não participou
2016 – Campeão (R$ 2,385 milhões)
2017 – Semifinal (R$ 1,6 milhão)
2018 – Quartas de final (R$ 1,45 milhão)
2019 – Semifinal (R$ 2,89 milhões)
2020 – Quartas de final (R$ 2,0 milhões)
Total de cotas da cobra coral (7 edições): R$ 11,475 milhões

Leia mais sobre o assunto
As folhas dos clubes do Nordestão de 2020 vão de R$ 115 mil a R$ 3,5 milhões

A análise do Podcast 45 Minutos (Diego Borges, João de Andrade e Lucas Liausu):

Abaixo, assista aos melhores momentos da partida, num vídeo do perfil da Copa do Nordeste.


Compartilhe!