Compartilhe!

Maracanã e Morumbi, os maiores estádios das metrópoles. Sem público por tempo indeterminado.

A ameaça de contágio em larga escala do Coronavírus levou o Ministério da Saúde a recomendar o realização de eventos esportivos de massa de portões fechados nas duas maiores cidades do Brasil, Rio de Janeiro (6,7 milhões) e São Paulo (12,2 milhões). Acatando a decisão, a CBF determinou a disputa de portões fechados por tempo indeterminado. Abaixo, a íntegra. Mesmo sem a determinação, outros estados já seguiram a linha, com Minas Gerais e Rio Grande do Sul, de forma provisória.

Neste primeiro momento, os campeonatos seguem o curso normal. No exterior, entretanto, a medida já está num estágio mais drástico, com a suspensão dos eventos, como a Champions League, NBA e Fórmula 1. Neste momento, por exemplo, as cinco maiores ligas europeias de futebol já estão paradas (ALE, ESP, FRA, ING e ITA). Na América do Sul, o primeiro adiamento ocorreu nas Eliminatórias da Copa de 2022, partindo da Fifa, numa decisão diretamente ligada a Pernambuco, que receberia Brasil x Bolívia em 27/03. Na sequência, a Conmebol anunciou a suspensão da 3ª rodada da Taça Libertadores, programada para o possível de pico da contaminação, segundo especialistas – caso o número aumente em progressão geométrica.

Agora, o Brasil começa a se inserir de vez no processo de saúde pública. Curiosamente, um dia após o presidente da FPF, Evandro Carvalho, em entrevista ao Diario de Pernambuco, negar a possibilidade de ocorrer jogos de portões fechados no estado por este motivo – antes, já havia rechaçado a possibilidade de adiar o jogo da Seleção na Arena Pernambuco. Por sinal, em quanto tempo a medida deve chegar ao futebol do Nordeste, com dezenas de jogos nos Estaduais e Nordestão? Lembrando que a região já registrou os primeiros casos de infectados. Ou seja, a medida adotada no eixo Rio-SP, de forma prudente, parece ser questão de tempo.

Consequência esportiva e financeira (além da saúde)
Tanto a suspensão dos jogos quanto a realização com portões fechados acarretará numa reação em cadeia em termos de problemas econômicos no futebol – além do calendário, que precisará ser refeito. Isso numa escala milionária. Sem fluxo de caixa, muitos clubes terão dificuldades para pagar salários e honrar contratos – fato que também tende a ser sentido nas principais áreas da economia do país. E é algo que só poderá ser retomado com o controle desta pandemia mundial.

A nota oficial da CBF em 13/03
“A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em sintonia com as orientações da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde, determina que, a partir desta sexta-feira (13), todas as partidas de futebol marcadas para as cidades de São Paulo (SP) e do Rio de Janeiro (RJ) sejam realizadas sem a presença de público. A CBF já comunicou as Federações Estaduais de futebol de São Paulo e do Rio de Janeiro para que tomem as medidas necessárias em relação às competições disputadas nas respectivas cidades. Essa medida tem prazo indeterminado e está sendo tomada por conta do estágio de transmissão comunitária do coronavírus, já identificado pelo Ministério da Saúde nestes centros urbanos, situação que gerou a recomendação expressa de restrição do contato social nestes eventos. A CBF monitora de forma permanente o cenário nacional junto ao Ministério da Saúde, cujas orientações continuarão balizando as decisões da entidade.”

A situação do futebol na América do Sul, devido ao Coronavírus (até 13/03)
Jogos de portões fechados – Argentina, Bolívia, Chile, Equador e Uruguai

Jogos suspensos – Colômbia, Paraguai, Peru e Venezuela

Decisão mista – Brasil, com portões fechados no Rio e em SP e liberado nos demais locais

A explicação do Ministério da Saúde sobre o Coronavírus (Covid-19)
“Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19). Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa. A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.”

Importante: 90% dos casos de coronavírus podem ser atendidos nos postos de saúde.

Saiba mais detalhes sobre o assunto, inclusive sobre a prevenção, clicando aqui.

Leia mais sobre o assunto
Com ameaça do Coronavírus, Fifa suspende Brasil x Bolívia na Arena Pernambuco


Compartilhe!