Compartilhe!

O roteiro tricolor no exterior até a conquista da Fita Azul. No fim do post, álbum da viagem.

Em Paris, em 1º de abril de 1979, o Santa encerraria uma excursão internacional iniciada um mês antes. O tricolor enfrentaria o PSG com o objetivo de manter a invencibilidade fora do país. Naquela época, as situações eram invertidas. O time pernambucano, treinado por Evaristo de Macedo, havia terminando o Brasileirão de 1978 em 5º lugar, passando 27 rodadas sem derrota (!), e contava com jogadores de nível de Seleção, como Givanildo e Carlos Alberto Barbosa.

Já o Paris Saint-Germain não tinha registro de investimento estrangeiro, como acontece hoje em dia, com direito à contratação mais cara do mundo (Neymar, € 222 milhões). O time ainda começava a ascender na França e possuía apenas um título, da segunda divisão. Não por acaso, os relatos sobre o jogo indicam uma superioridade coral, que chegou a ficar duas vezes em vantagem, mas cedeu o empate. Ainda assim, o 2 x 2 foi festejado. Bastante. Sobre o desembarque no Aeroporto dos Guararapes, o Diario de Pernambuco descreveu assim: “Povão consagra o Santa Cruz”. Tudo a partir da sequência estabelecida, que foi reconhecida em 1980 pela Confederação Brasileira de Desportos, a CBD (atual CBF), com a “Fita Azul”.

Numa época de muitas excursões internacionais no futebol brasileiro, entre as décadas de 1950 e 1970, a premiação era entregue a invencibilidades acima de 10 jogos. Curiosamente, a partida diante do PSG foi a 12ª da viagem coral, com escalas no Oriente Médio e na Europa. Ou seja, em tese, o time colocou a Fita Azul em risco, mas conseguiu segurar a marca. O clube pernambucano, o único do Nordeste agraciado, foi o último a recebê-la, de um total de oito.

A excursão do tricolor pernambucano rumo à Fita Azul
03/03 – Santa Cruz 5 x 1 Seleção do Kuwait (Kuwait)
06/03 – Santa Cruz 1 x 1 Seleção do Kuwait (Kuwait)
08/03 – Santa Cruz 3 x 0 Seleção do Bahrein (Bahrein)
11/03 – Santa Cruz 4 x 0 Seleção do Catar (Catar)
13/03 – Santa Cruz 4 x 1 Seleção do Catar (Catar)
14/03 – Santa Cruz 2 x 1 Seleção de Dubai (Emirados Árabes)
17/03 – Santa Cruz 3 x 0 Seleção de Abu Dhabi (Emirados Árabes)
18/03 – Santa Cruz 3 x 0 Al Ain (Emirados Árabes)
20/03 – Santa Cruz 6 x 2 Nasser Sport Club
22/03 – Santa Cruz 3 x 0 Al-Hilal (Arábia Saudita)
30/03 – Santa Cruz 4 x 2 Seleção da Romênia (Romênia)
01/04 – Santa Cruz 2 x 2 Paris Saint-Germain (França)

De 03/03 a 01/04
12 jogos, com 10 vitórias e 2 empates; 40 GP e 10 GC

Artilheiros
10 gols – Neinha
9 gols – Volnei
8 gols – Betinho
4 gols – Joãozinho
3 gols – Givanildo Oliveira
2 gols – Jadir
1 gol – Alfredo Santos, Carlos Alberto Barbosa, Lula e Paranhos

Jogos por país: Emirados Árabes 3x, Kuwait 2x, Catar 2x, Arábia Saudita 2x, Bahrein 1x, Romênia 1x e França 1x

Clubes brasileiros premiados com a Fita Azul
3x – Portuguesa (51, 53 e 54)
1x – Corinthians (52), Portuguesa Santistas (59), Bangu (62), São Paulo (64), Coritiba (72), Santos (72) e Santa Cruz (79)

Obs 1. Após o regresso da excursão, o Santa Cruz disputou o Campeonato Pernambucano de 1979 e ganhou de ponta a ponta, com 134 gols em 39 jogos. Bicampeão com ótima média de 3,4 gols.

Obs 2. O feito internacional dos corais já foi lembrado em uniformes alternativos na cor azul. A 1ª delas foi lançada em julho de 2009, através da Penalty. O último modelo foi lançado em 2015

Abaixo, uma galeria de imagens sobre a excursão do Santa Cruz, com o arquivo pessoal de Betinho, atacante do tricolor – e um dos principais nomes na sequência. Destaque para a passagem no mundo árabe e para o terno azul, escolhido antes da viagem, a dedo. Deu sorte.

Leia mais sobre o assunto
Al Ain na final mundial contra o Real Madrid. No passado, a atração foi o Santa

As maiores invencibilidades da história do Campeonato Brasileiro


Compartilhe!