Compartilhe!

À tarde, a goleada por 4 x 0 sobre o Sete, pelo PE. À noite, vaga no BR. Foto: Retrô FC/Instagram.

A tabela oficial da Série D de 2022 foi divulgada em 16 de fevereiro, pouco depois do conselho técnico mediado na sede da CBF. No documento de 14 páginas, a surpreendente presença do Retrô no Grupo A3, formado por outros sete nordestinos, incluindo o Afogados, que obteve a sua vaga no Campeonato Pernambucano de 2021 ao ficar em 5º lugar na primeira fase, sendo o segundo melhor à parte do trio de ferro – na ocasião, todos os grandes estava em divisões acima.

Na ocasião, a outra vaga local ficou com o Salgueiro, o 3º lugar naquela etapa. Portanto, o dois sertanejos seriam os representantes do estado no BR, através do torneio local. Rebaixado na última Série C, o Santa Cruz também se juntou ao pelotão. De última hora, porém, a lista de participantes acabou modificada, algo previsto no regulamento. Pelo segundo ano seguido, o Salgueiro abdicou da participação na 4ª divisão nacional. Em 2021, a vaga foi repassada ao Central, o melhor colocado na sequência do PE. Em 2022, nesta mesma lógica, vaga seria herdada pelo Vera Cruz, 6º no Pernambucano de 2021 e que acabou não querendo também.

Nesta temporada, esta recusa, tanto do Salgueiro quanto do Vera, chamou mais a atenção porque a competição prevê uma inédita cota de R$ 120 mil a cada clube, além de todo o custeio com as viagens. Como a vaga é repassada necessariamente dentro do próprio estado, a “fila andou”, chegando ao 7º colocado do último PE! No caso, o Retrô, que disputou o quadrangular do rebaixamento após a má campanha – mas se manteve na elite estadual.

Assim, o clube-empresa de Camaragibe, que largou com 4 vitórias em 4 jogos no Estadual de 2022, disputará o Campeonato Brasileiro pela 2ª vez em sua história, de apenas 6 anos. Na edição passada, terminou na 32ª posição entre 68 clubes. Curiosamente, a Série D é a segunda competição de 2022, sob a chancela da CBF, que o Retrô participa após herdar a vaga. Há seis meses, a outra classificação veio num roteiro bem parecido, retratando a realidade do futebol pernambucano, embora a cota ignorada pelos clubes seja basicamente a mesma paga no Estadual, fora o custeio todo bancado no BR. Se agora foram duas desistências, na primeira vez foram três – com Salgueiro e Vera Cruz abdicando nas duas situações. Relembre abaixo.

O Retrô também herdou a vaga na Copa do Nordeste de 2022
Em julho de 2021 foi anunciada a ampliação da Lampions, passando de 20 para 36 clubes. Com isso, PE ganhou três vagas na preliminar, uma delas reservada ao Campeonato Pernambucano, à parte dos times já garantidos – Náutico e Sport. A princípio, ficaria com o Salgueiro. Em crise financeira, o carcará desistiu em 26 de agosto. No mesmo dia, via nota oficial, o Afogados também abriu mão – ambos estavam parados no segundo semestre, data dos jogos. No dia seguinte, pelo mesmo motivo, o Vera Cruz também desistiu. Foram três negativas em 30 horas. Nome presente na sequência, o Retrô aceitou. A presença no Nordestâo foi efêmera, caindo na primeira eliminatória, em 13 de outubro (Moto Clube 3 x 2). A fênix saiu com uma cota de R$ 40 mil.

Fênix integra grupo 100% nordestino no Brasileiro de 2022
Na 1ª fase da Série D de 2022, o Retrô está numa chave ao lado de Afogados (PE), América (RN), Crato (CE), Globo (RN), Icasa (CE), São Paulo Crystal (PB) e Sousa (PB). A disputa será em turno e returno, com 14 rodadas ao todo, entre 17 de abril e 17 de julho. Os 4 melhores da chave avançam ao mata-mata, que parte com 32 clubes. Nesta temporada, o clube começou com uma folha de R$ 250 mil no Estadual, mas com a possibilidade de chegar até R$ 450 mil a partir de três gatilhos: vagas na Série D e na Copa do Brasil, ambas para 2023, e o inédito título pernambucano.

Leia mais sobre o assunto
Série D com orçamento de R$ 60 milhões em 2022, mas com cotas modestas aos 64 clubes

Retrô consegue o único “certificado de clube formador” em PE em 2022; apenas 6 do NE


Compartilhe!