Compartilhe!

Laércio Guerra (dono do Retrô) recebeu o novo certificado através de Evandro Carvalho (FPF).

A CBF divulgou a primeira lista de times com documentos válidos sobre o processo de “Certificado de Clube Formador” em 2022. Embora o país tenha mais de 600 clubes profissionais em atividade, apenas 38 têm o documento em dia, seis deles no Nordeste – veja abaixo. E olhe que o cenário anterior, de 2021, foi ainda pior, com apenas 21 clubes em situação regular, sendo três nordestinos. Na ocasião, com Ceará, Fortaleza e Retrô. O trio permaneceu, com o vozão chegando ao 5º ano seguido, a maior sequência vigente do NE. Portanto, as três novidades da região vêm da Boa Terra, com a dupla Ba-Vi e o Bahia de Feira, o clube do interior que mais investe na base.

Em relação à lista passada, com 17 nomes a mais ao todo, chegaram 22 novos clubes e saíram 5, com 16 agremiações permanecendo de 01/2021 para 02/2022. A lista, atualizada regularmente pela direção da CBF, saiu em 17 de janeiro, na ocasião com 37 clubes, sem o Retrô. Ou seja, sem Pernambuco – algo que nunca aconteceu. Três semanas depois, em 8 de janeiro, a FPF anunciou o novo certificado para o clube-empresa de Camaragibe, que conseguiu renovar o documento. Em termos de infraestrutura, a presença era até esperada, pois é o objetivo do clube, que já recebeu cerca de R$ 35 milhões em investimento.

Boa parte desta receita da primeira “Sociedade Anônima do Futebol” (SAF) do NE foi injetada no segundo centro de treinamento, numa área de 10 hectares em Aldeia, no Grande Recife. Ao todo, são 10 campos, sendo 5 com dimensões oficiais, com 105m x 68m. De acordo com o clube, a ideia é ter, em até quatro anos, um elenco profissional com 70% dos atletas da base.

A presença do Retrô contrasta, novamente, com a ausência do trio de ferro, que foi saindo aos poucos da lista da confederação. Em 2021 o cenário também era o mesmo com os grandes da Bahia, mas os rivais retomaram a pendência burocrática em 2022. Naquela ocasião, o leão pernambucano chegou a informar a entrada dos alvarás, laudos e certificado necessários, mas seguiu fora. Vale lembrar que entre os benefícios da certificação está o reforço sobre os direitos sobre atletas formados no clube, com a oficialização de contratos na base. Assim, facilita a burocracia para garantir a indenização sobre a saída de atletas entre 14 e 16 anos.

Os 38 clubes formadores com certificado atualizado em fevereiro de 2022
BA (3) – Bahia, Bahia de Feira e Vitória
CE (2) – Ceará e Fortaleza
MG (3) – América, Atlético e Cruzeiro
PE (1) – Retrô
PR (4) – Athletico, Azuriz, Coritiba e PSTC
RJ (6) – Botafogo, Flamengo, Fluminense, Nova Iguaçu, Vasco e Volta Redonda
RS (3) – Grêmio, Juventude e Internacional
SC (4) – Avaí, Chapecoense, Criciúma e Figueirense
SP (12) – Audax, Botafogo, Bragantino, Corinthians, Desportivo Brasil, Ferroviária, Guarani, Ituano, Juventus, Novorizontino, Ponte Preta e Santos

Exigências para o Certificado de Clube Formador
1) Técnicos e preparadores físicos exclusivos
2) Participação em competições oficiais
3) Programa de treinamento (local*, horários, faixa etária, atividade escolar etc)
4) Assistência educacional
5) Assistência médica
* Com laudos técnicos (Bombeiros, Vigilância Sanitária e alvará para uso do alojamento)

A redução pernambucana, de 6 pra 1
O certificado emitido pela confederação existe desde 2011. Em 2013, o futebol pernambucano chegou a ter seis clubes certificados, com a FPF viabilizando a presença até do interior. Porém, o Náutico está fora desde 10/2015, enquanto Santa Cruz, Salgueiro e Serra Talhada não conseguiram a renovação em 06/2018, com o Sport saindo em 09/2020. Em 01/2021 quem saiu foi o Porto de Caruaru, que acabou substituído pelo Retrô, o único representante de PE nas últimas duas listas .

Leia mais sobre o assunto
Os centros de treinamento do G7 do Nordeste, em áreas de 8 a 54 hectares


Compartilhe!