Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

O resultado deixou o time coral em 4º lugar na primeira fase. Foto: Rafael Melo/Santa Cruz.

Num confronto direto pelo G6, com pressão em ambos, o jogo na Arena Pernambuco acabou mesmo sendo movimentado, com o Santa Cruz vencendo o Retrô após duas viradas no placar. O tricolor fez 1 x 0, a fênix virou para 2 x 1 e os corais retomaram a vantagem com o 3 x 2 definitivo. O resultado encerrou o jejum de cinco partidas do Santa, que vinha numa sequência com 1E e 4D, somando PE, Nordestão e Copa do Brasil.

Essa grave crise técnica resultou na saída de Alexandre Gallo após 13 dias de trabalho! Falando em técnico, o novo comandante, Bolívar, já esteve presente, acompanhando na arquibancada de São Lourenço. Em campo, o interino Roberto de Jesus fez alterações nas laterais, colocando Ítalo Melo (LD) e Eduardo (LE), nas vagas de Pileggi (banco) e Alan Cardoso (machucado). Com três volantes e um meia, o time ganhou mais força, consciente de que o adversário teria uma posse de bola maior – e o Retrô teve 58% no 1T.

O futebol do Retrô foi o esperado, circulando bastante a bola e sendo objetivo. Foi assim nos gols de Kauê e Neilson – curiosamente, em assistências de Neilson e Kauê. Só que o do Santa foi além do esperado, com o time mais ligado em campo. Ou seja, atacou sem que isso significasse a desorganização defensiva vista diante do Sete. Os gols dos tricolores foram de Elicarlos (após sobra malfeita de Baumer), Eduardo (chute colocado de fora da área, seu 3º gol no PE) e Chiquinho (o único tento no 2T, após pênalti cometido por Baumer, o pior em campo).

A suada vitória aliviou a pressão no Arruda, zerando o risco de ter que disputar o quadrangular do rebaixamento. Obviamente, o resultado passa a ser visto de outra forma, com a classificação antecipada às quartas de final do Estadual. Com 12 pontos, o time figura no G4 e encerrará o turno diante do Afogados, o 5º, com 11 pontos. Possivelmente com Bolívar em campo, o Santa joga por uma vitória simples para ser o mandante nas quartas.

Pressão inédita sobre o Retrô
Quanto ao Retrô, o clube intermediário de maior investimento em PE, a 5ª derrota seguida, em sua pior sequência no profissionalismo. O time já não tem mais chances de obter a vaga na Série D de 2022 (caso precise de calendário, pois jogará a Série D de 2021) e precisa de uma combinação para passar de fase. Com 7 pontos, precisa vencer o Vitória e torcer por uma derrota do Vera Cruz (10) diante do Sete. Pela primeira vez o clube-empresa de Camaragibe vive sob pressão nos gramados.

Escalação do Retrô (melhor: Kauê; pior: Baumer)
Rodrigo Carvalho; Neilson, André Baumer, Del’Amore e Negueba (Edson, 28/2T); Romarinho, Gelson, Jaildo (Thiaguinho, intervalo) e Kauê (Fabiano, 16/2T); Janderson (Erikys, 16/2T )e Mayco Félix (Ruan Costa, 16/2T). Técnico: Nilson Corrêa

Escalação do Santa Cruz (melhores: Eduardo e Chiquinho; pior Ítalo Melo)
Jordan; Ítalo Melo (Jadson, 23/2T), William Alves, Júnior Sergipano e Eduardo (Marcel, 35/2T); Elicarlos (Ítalo Henrique, 38/2T), Derley (Caetano, 38/2T), Augusto César (Quiñonez) e Chiquinho; Pipico e Madson. Técnico: Roberto de Jesus (interino)

Os dois duelos na história, ambos pelo Estadual (2V do tricolor)
1º) 21/01/2020 – Retrô 1 x 2 Santa Cruz (Aflitos)
2º) 28/04/2021 – Retrô 2 x 3 Santa Cruz (Arena PE)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Filipe Assis e Lucas Liausu):


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •