Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

O time alagoano segue sendo o único representante nordestino no G4. Foto: Francisco Cedrim/CRB.

Com autoridade, o CRB venceu o Náutico na Arena Pernambuco, por 3 x 1, e tornou-se o maior pontuador na condição de visitante nesta Série B. Com 8V, 2E e 4D em 14 jogos neste recorte, chegou a 26 pontos, ultrapassando o Coritiba, o líder geral da competição, que tem um jogo a menos fora de casa. O clube alagoano pontuou nas últimas oito apresentações longe de Maceió, se firmando no grupo de acesso.

Não por acaso, o time do bom meia argentino Diego Torres chegou à 10ª rodada consecutiva no G4. É uma boa fase que se contrapõe à do timbu. No 1T, por exemplo, o scout de finalizações foi de 6 x 6, mas com 2 x 0 para os alagoanos em apenas 26 minutos, com gols de Pablo em falhas dos laterais do alvirrubro pernambucano, com Hereda na saída do primeiro lance e com Lorran na marcação do segundo.

Era a consciência tática do galo diante de um adversário pela duradoura má fase, apesar de novidade na noite. Afinal, era a volta de Hélio dos Anjos ao Recife e a sua primeira vez, em 15 anos, diante do torcedor do Náutico, que voltou à arquibancada após 563 dias. Porém, além da fase, o ingresso elevado, o custo da arena e a burocracia criada acabaram reduzindo um número que já seria reduzido. Com limite de 2,5 mil pessoas, foram apenas 649 torcedores, cuja alegria pela volta deu logo lugar à irritação logo cedo, a partir da falta da resposta.

No 2T, o Náutico até ensaiou isso, com o atacante Álvaro, que acabara de entrar, escorando uma falta cobrada por Jean Carlos. No entanto, o jogo foi definido pouco depois, nnum gol contra bizarro de Yago, que já fazia uma partida ruim. Num lateral cobrado pelo CRB, o zagueiro desviou de cabeça para as próprias redes. Acabou simbolizando a maior carência do elenco no momento, a falta de zagueiros confiáveis, com Camutanga sendo na prática o único.

Embora o goleiro Anderson, de boa passagem em 2020, tenha acertado o retorno, a sua chegada tende a ser insuficiente, considerando o tamanho do buraco que o time está entrando no campeonato. Já são cinco derrotas seguidas, com 1V, 3E e 10D nos últimos 14 jogos. Ou seja, somou apenas 6 pontos em 42 disputados. Enquanto o CRB só olha pra cima, o Náutico começa a olhar com mais atenção a aproximação do último pelotão, hoje a 8 pontos.

Náutico em 27 rodadas na Série B de 2021
Mandante (14 jogos, 20 pts e 47.6%): 5V, 5E e 4D
Visitante (13 jogos, 15 pts e 38.4%): 4V, 3E e 6D

A comparação da campanha com os acessos do timbu na Série B após 27 jogos
1º) 2011 – 48 pontos (13V, 9E e 5D; 3º lugar)
2º) 2006 – 45 pontos (13V, 6E e 8D; 2º lugar)
3º) 2021 – 35 pontos (9V, 8E e 10D; 11º lugar)

Escalação do Náutico (piores: Yago, Hereda e Lorran)
Jefferson; Hereda (Thássio, 32/2T), Yago, Camutanga e Breno Lorran (Álvaro, intervalo); Matheus Trindade (Vinícius Vargas, 32/2T, Rhaldney (Luiz Henrique, 43/2T), Júnior Tavares e Jean Carlos; Jailson (Murillo, 24/2T) e Vinícius. Técnico: Hélio dos Anjos

Escalação do CRB (melhores: Pablo, Caetano e Diego Torres)
Diogo Silva; Reginaldo, Gum, Caetano e Guilherme Romão; Claudinei (Wesley, 30/2T), Jean Patrick (Carlos Jatobá, 35/2T) e Diego Torres (Renan Bressan, 35/2T; Pablo Dyego, Nicolas Careca (Júnior Brandão, 28/2T) e Jajá. Técnico: Allan Aal

Histórico geral de Náutico x CRB (todos os mandos)
64 jogos
30 vitórias pernambucanas (46,8%)
16 empates (25,0%)
18 vitórias alagoanas (28,1%)

Leia mais sobre o assunto
Governo de PE libera a volta da torcida aos estádios; capacidade inicial bem reduzida

A análise do Podcast 45 Minutos sobre a partida (do tempo 0h03 até 0h51):

Abaixo, assista aos gols da partida, através do perfil oficial da Série B no Twitter.


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •