Compartilhe!

Ao todo, Kieza jogou por 36 minutos e ainda tentou um voleio. Foto: Tiago Caldas/Náutico.

Voltando a jogar pelo Campeonato Pernambucano, o Náutico aplicou outro 3 x 0. Na 1ª rodada, diante do Íbis. Na 2ª rodada, diante do Sete de Setembro, que desponta como o pior time da competição, com sobras – já havia levado 7 x 0 do Sport. Lá na Arena Pernambuco, mais do que os gols de Júnior Tavares (de falta), Juninho Carpina (o 3º dele no PE) e Ewandro (de pênalti), valeu a volta do ídolo Kieza. O atacante ficou 192 dias afastado dos gramados para se recuperar de uma cirurgia, após a ruptura no tendão de Aquiles da perna esquerda – foi a lesão mais grave de sua carreira.

Ausente um semestre inteiro, justamente num momento de alta, com o título estadual de 2021 e a histórica arrancada na Série B. E a sua saída, atrelada a outros fatores, mudou aquele momento. Nesta noite, ao entrar no lugar de Robinho, aos 16 do segundo tempo, o “K9” fez os primeiros movimentos para retomar o ritmo de jogo em 2022. Aos 35 anos, isso deve demorar um pouco mais. Entretanto, é improvável que o faro de gol não reapareça logo – pelo timbu, tem 66 gols em 129 jogos, com a competitiva média de 0,51. Daí, a verdadeira importância sobre este jogo. Trato a questão anímica como algo bem importante no futebol. No Náutico, a recepção do grupo à volta de Kieza, já com a faixa de capitão, diz bastante sobre isso.

A própria ansiedade da torcida sobre o fato, valendo também sobre o regresso do meia Jean Carlos, em breve, acabou limada com as primeiras arrancadas do atacante, acionado com o jogo já definido. Sobre a goleada em si, o Náutico manteve um tabu de 37 anos sem derrota para o Sete – a última foi em 4 de agosto de 1985, quando o clube do interior fez 1 x 0 no Recife. A vantagem alvirrubra no duelo é enorme. Venceu 86% dos jogos. Outra curiosidade é o fato de que o Sete foi o mandante nas últimas três vezes, mas só jogou uma em Garanhuns, em 2010. Nas últimas duas os jogos foram em Caruaru e São Lourenço, respectivamente – devido ao veto no Gigante do Agreste, pelo gramado em 2021 e pela iluminação em 2022.

Escalação do Sete de Setembro (pior: Saulo)
Saulo (Neneka); Fernando Almeida, Fabinho e Sílvio Carrasco; Rony, Anderson Recife, Anderson São João (Nego de Brejão), Cloves (Rogger), Pantico e Jonilson; Abuda (Souza). Técnico: Luís Miguel Oliveira

Escalação do Náutico (melhores: Leandro Carvalho e Tavares)
Lucas Perri; Thássio, Rafael Ribeiro, Camutanga e Júnior Tavares (Luan); Rhaldney, Richard Franco (Wagninho) e Juninho Carpina; Ewandro (Felipe Cabeleira), Leandro Carvalho (Pedro Victor) e Robinho (Kieza). Técnico: Hélio dos Anjos

Histórico geral de Sete de Setembro x Náutico (todos os mandos)
43 jogos
37 vitórias alvirrubras (86,0%)
4 empates (9,3%)
2 vitórias alviverdes (4,6%)

Leia mais sobre o assunto
As folhas dos clubes do Pernambucano 2022 somam R$ 3,63 milhões, com 19% no Náutico

O ranking com os 30 clubes mais valiosos do Brasil; Náutico é o 6º mais valioso do NE


Compartilhe!