Compartilhe!

Náutico (4) 0 x 0 (3) Santa Cruz no PE

Com a noite já caindo no Recife, invasão de campo e festa. Foto: Tiago Caldas/Náutico.

O segundo e último Clássico das Emoções nesta temporada foi abaixo da crítica. Embora o jogo tenha tido mais de 20 finalizações, a verdade é que basicamente nenhuma levou perigo real às barras do alvirrubro Perri e do tricolor Kléver, numa disputa que não agradou as duas torcidas. O futebol foi excessivamente lento, com muitos passes errados e poucas jogadas produtivas. De toda forma, mesmo com o empate em 0 x 0, alguém teria que sair vencedor.

Afinal, era a semifinal do Campeonato Pernambucano de 2022, em jogo único nos Aflitos, que contou com 10 mil alvirrubros presentes – a torcida coral não pôde comparecer devido a um ato recente da FPF, que veta as torcidas nos clássicos. Assim, o confronto se estendeu às penalidades, com Jean Carlos abrindo a série e batendo pra fora, dando um susto grande na timbuzada. Ocorre que numa partida tecnicamente ruim, as penalidades seguiram a mesma linha. E o Náutico virou a disputa para 4 x 3 a partir dos erros de Alex Alves, pra fora, e de Edson Ratinho, na trave. Ou seja, Perri não precisou defender um chute. Portanto, o timbu eliminou o rival e avançou para uma mais uma decisão, algo recorrente nos últimos anos.

Na história do Estadual, num recorte desde 2010, com a implantação do sistema de mata-mata na fase final, este foi o 7º confronto entre tricolores e alvirrubros, com o Náutico passando pelo 2º ano seguido, novamente na semifinal – relembre os duelos abaixo. Com isso, o alvirrubro, em busca do bicampeonato, chega à decisão pela 4ª vez em 5 anos. Neste período, foi campeão em 2018 e 2021 e vice em 2019. Na última edição em que não foi à final, parou justamente no Santa, na semifinal de 2020. Depois disso, porém, deu o troco.

À parte da crítica sobre o futebol no sábado, com a volta de Kieza e com os alvirrubros insatisfeitos com o trabalho do técnico Felipe Conceição nos últimos jogos, passou o melhor time. Não especificamente neste clássico, com dois empates em 2022, mas pelo potencial técnico, com a corrida para o bi bem viva. Fica só a observação sobre uma possível restrição sobre o mando de campo, pois a torcida vermelha e branca invadiu o campo para comemorar a classificação. Na última vez que isso aconteceu nos Aflitos, no acesso à Série B em 2019, a cena não chegou ao STJD, mas não houve punição porque não teve confusão efetiva.

Final só deve começar dentro de 18 dias

Na final, o Náutico vai aguardar um pouco para voltar a jogar pelo PE, pois a outra chave está parada. Ainda pelas quartas, Sport x Salgueiro só vai acontecer após a decisão do Nordestão. No caso, em 6 de abril. Já o Retrô, o líder geral da 1ª fase da competição, aguarda o vencedor deste jogo para fazer a semifinal, no dia 13. Ou seja, a final será conhecida daqui a onze dias, com a ida e a volta ainda sem data – talvez comece no dia 20. Não por acaso, o Náutico deverá fazer ao menos dois jogos pela Série B antes da disputa pelo 24º título estadual. Quanto ao Santa, o revés ampliou o jejum de títulos para seis anos. Além disso, o time de Leston Júnior aguardou 14 dias por esta semifinal e agora vai esperar mais 15 até a estreia na Série D.

O histórico do Clássico das Emoções no mata-matas no PE*
1ª) 2010 – Náutico (0 x 0 e 1 x 0), semifinal
2ª) 2013 – Santa Cruz (1 x 0 e 1 x 2), semifinal
3ª) 2016 – Santa Cruz (3 x 1 e 2 x 1), semifinal
4ª) 2017 – Santa Cruz (2 x 1 e 1 x 1), 3º lugar
5ª) 2020 – Santa Cruz (0 x 0, com 7 x 6 nos pênaltis), semifinal
6ª) 2021 – Náutico (2 x 1), semifinal
7ª) 2022 – Náutico (0 x 0, com 4 x 3 nos pênaltis), semifinal
* Desde 2010, quando foi implantado o sistema eliminatório no PE; Santa 4 x 3 Náutico

Escalação do Náutico
Lucas Perri; Hereda, Rafael Ribeiro, Camutanga e Júnior Tavares; Richard Franco (Djavan), Rhaldney (Wagninho) e Jean Carlos; Léo Passos (Pedro Vitor), Robinho (Juninho Carpina) e Kieza (Amarildo). Técnico: Felipe Conceição

Escalação do Santa Cruz
Kléver; Marcos Martins, Júnior Sergipano, Alex Alves e Dudu Mandai; Gilberto, Elyeser (Rodrigo Yuri) e Tarcísio (Esquerdinha); Mateus Anderson (João Henrique), Matheuzinho e Rafael Furtado (Edson Ratinho). Técnico: Leston Júnior

Histórico geral do Clássico das Emoções (todos os mandos)
533 jogos
203 vitórias do Santa Cruz (38,0%)
158 empates (29,6%)
171 vitórias do Náutico (32,0%)
1 placar desconhecido (em 1931)

Leia mais sobre o assunto
Folhas dos clubes do Pernambucano 2022 somam R$ 3,63 mi; 29% em Náutico e Santa

O ranking com os 30 clubes mais valiosos do Brasil; Santa e Náutico estão presentes

Abaixo, assista à comemoração dos jogadores alvirrubros no vestiário dos Aflitos.


Compartilhe!