Compartilhe!
  •  
  • 7
  •  
  •  

Foi o 2º gol do zagueiro Camutanga no Brasileiro. Foto: Caio Falcão/Náutico.

Sobre a improvável recuperação do Náutico, na Série B, a maior dificuldade em buscar resultados era a falta de futebol, de competividade propriamente dita. A chegada do técnico Hélio dos Anjos foi a última cartada para tentar reverter o quadro, com o time afundado no Z4 e a 7 pontos do 16º lugar. Com ajustes defensivos, paciência e bastante luta, o time reagiu.

Passou a fazer bons jogos contra adversários melhores (vide Juventude no RS) e agora começa a pontuar diante dessas equipes do alto da tabela (vide Chape fora e Sampaio em casa). Nesta 30ª rodada, pelo que se viu nos 90 minutos (mas de forma precisa nos 45 minutos finais), só um time buscou a vitória. Apesar do placar magrinho, de 1 x 0, o timbu obteve um resultado justo diante de uma equipe que chegou a passar 8 rodadas no G4, mas que vem numa queda de produção.

No 1T, um jogo de muita marcação e pouca inspiração ofensiva, considerando chances efetivas. E ainda houve uma paralisação de 16 minutos devido ao acidente de um profissional da equipe de transmissão – foi preciso esperar a troca das ambulâncias. Na retomada, o Náutico, que já era levemente superior, tomou conta do jogo. Criou e pressionou, sobretudo na bola aérea, insistindo até abrir o placar, aos 23 minutos. O zagueiro Camutanga – que já havia marado na final da Série C entre os dois times, em 2019 – escorou o escanteio cobrado por Jean Carlos e forçou mudanças no Paio, com o técnico Condé tirando até Caio Dantas, o artilheiro do BR (17 gols), tamanha a improdutividade.

Quanto ao timbu, consciente da limitação em termos de gols marcados (foi apenas o 26º em 30 partidas), a concentração foi direcionada para controlar o visitante, o que aconteceu com sobras. Em desvantagem, o Sampaio não finalizou com perigo uma vez sequer. Na tarde toda, o scout de finalizações apontou 15 x 5 a favor do Náutico, sendo 7 x 2 na barra. Números que justificam a reação do Náutico, ainda na zona, mas já com diferença mínima. São 3 vitórias, 2 empates e apenas 1 derrota nas últimas 6 rodadas. Faltam 8 jogos. Dá pra buscar.

Náutico em 30 rodadas na Série B de 2020
Mandante (14 jogos, 22 pts e 52.3%): 5V, 7E e 2D
Visitante (16 jogos, 10 pts e 20.8%): 2V, 4E e 10D

Escalação do Náutico (melhores: Jean Carlos, Camutanga e Hereda)
Anderson; Hereda, Rafael Ribeiro, Camutanga e Kevyn; Rhaldney (Renan Foguinho, 33/2T), Djavan (Matheus Trindade, 46/2T) e Jean Carlos (Ruy, 46/2T); Vinícius (Dadá Belmonte, 27/2T), Paiva e Bryan (Jorge Henrique, 33/2T). Técnico: Hélio dos Anjos

Escalação do Sampaio Corrêa (piores: João Victor e Caio Dantas)
Gustavo; Joazi, Flávio Boaventura, Daniel Felipe e João Victor (Jackson, 23/2T); Serginho, Vinícius Kiss (Dione, 41/2T) e Marcinho; Roney (Mailson, 41/2T); Caio Dantas (Eloir, 23/2T) e Robson (Gustavo Ramos), 13/2T. Técnico: Léo Condé

Histórico geral de Náutico x Sampaio (todos os mandos)
24 jogos
12 vitórias pernambucanas (50,0%)
5 empates (20,8%)
7 vitórias maranhenses (29,1%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Clauber Santana, João de Andrade e Rafael Bayma):

Abaixo, assista ao gol da partida, através do perfil oficial da Série B no Twitter.


Compartilhe!
  •  
  • 7
  •  
  •