Compartilhe!

Os cinco clubes com múltiplas finais estaduais no currículo, com a ordem pelo nº de presenças.

Com a final em 2020, diante do carcará, o Santa Cruz ampliou o recorde de decisões disputadas na história do Campeonato Pernambucano. O tricolor chegou a 47 finais, abrindo duas de vantagem sobre o Sport, à parte do número de títulos e vices. Obviamente, é preciso explicar o contexto deste ranking.

Até 2009, quase todas as edições do Estadual ocorreram sem a necessidade de uma final. Bastava vencer todos os turnos para obter o título de forma direta. Contudo, em muitas oportunidades, como se sabe, um clube ganhou um turno e outro clube levou o outro, provocando uma decisão – já houve torneio de três turnos. Algumas vezes, sobretudo na década de 1930, houve a disputa entre grupos distintos com o “jogo-desempate”. Também já houve imposição de uma partida extra mesmo com um time vencendo todas as fases – caso do Sport em 1998, diante do Porto, mesmo depois ganhar três turnos. O Santa, hoje finalista, tem 24 títulos em finais e 5 títulos de forma direta. Sport tem 27/15 e o Náutico e 17/5.

O processo decisivo só foi uniformizado em 2010, quando a FPF, enfim, colocou no papel a disputa de fases eliminatórias, com semifinal e final. Em 2018, a federação ampliou o mata-mata, criando também as quartas. Dito isso, encare esta publicação como mera curiosidade – afinal, título é título, com ou sem final. Compilando todas as decisões ao longo dos anos, com ida e volta, melhor de três, extra e supercampeonato, a disputa entre Santa e Salgueiro, em 2020, representa a 72ª decisão na história do futebol local, sendo a 11ª consecutiva.

Ao todo, já vimos 14 composições diferentes na final. A desta temporada já é um repeteco, com a primeira em 2015 – é a 6ª composição de final com mais de uma edição. Na 46 decisões disputadas anteriormente, o Santa teve 64% de aproveitamento em termos de taça. Enquanto o Salgueiro, pela 3ª vez na década, ainda busca o primeiro título.

Leia sobre a decisão de 2020
Santa Cruz x Salgueiro, a final do Pernambucano de 2020. A 2ª vez na história

Curiosidade
Até 2020 foram 106 edições do Estadual, com 72 terminando com uma decisão (ou 67,9% do total). A maior goleada aplicada numa final foi em 1966, com Náutico 5 x 1 Sport. Também houve disputa de pênaltis em três decisões, em 1983 (deu Santa), 2006 (deu Sport) e 2019 (deu Sport).

Ranking de finais disputadas (de 1915 a 2020; 72 edições)
1º) 47x – Santa Cruz – (65,2% das decisões)
2º) 45x – Sport (62,5%)
3º) 37x – Náutico (51,3%)
4º) 5x – América (6,9%)
5º) 3x – Salgueiro (4,1%)
6º) 1x – Flamengo do Recife (1,3%)
6º) 1x – Torre (1,3%)
6º) 1x – Íris (1,3%)
6º) 1x – Varzeano (1,3%)
6º) 1x – Tramways (1,3%)
6º) 1x – Porto (1,3%)
6º) 1x – Central (1,3%)

Mais títulos em finais (1915-2019; 71 edições)
1º) 27x – Sport (38,0% dos títulos)
2º) 24x – Santa Cruz (33,8%)
3º) 17x – Náutico (23,9%)
4º) 2x – América (2,8%)
5º) 1x – Flamengo do Recife (1,4%)

Mais vice-campeonatos em finais (1915-2019; 71 edições)
1º) 22x – Santa Cruz (30,9% dos vices)
2º) 20x – Náutico (28,1%)
3º) 18x – Sport (25,3%)
4º) 3x – América (4,2%)
5º) 2x – Salgueiro (2,8%)
6º) 1x – Torre (1,4%)
6º) 1x – Íris (1,4%)
6º) 1x – Varzeano (1,4%)
6º) 1x – Tramways (1,4%)
6º) 1x – Porto (1,4%)
6º) 1x – Central (1,4%)

Maiores sequências de títulos em finais (anos seguidos)
3x – Santa (2 vezes; 1969/71 e 2011/13) e Sport (1 vez; 1998/00)
2x – Sport (5 vezes; 1916/17, 48/49, 61/62, 80/81 e 91/92), Santa (4 vezes; 1932/33, 46/47, 86/87 e 2015/16) e Náutico (4 vezes; 1950/51, 65/66, 84/05 e 2001/02)

Maiores sequências de vices em finais (anos seguidos)
6x – Santa (1999/2004)
5x – Náutico (1991/95)
3x – Náutico (1975/77) e Sport (2011/13)
2x – Santa (3 vezes; 1916/17, 20/21 e 84/85) e Sport (3 vezes; 1965/66, 68/69 e 86/87)

Ordem cronológica das finais do Campeonato Pernambucano (1915-2020)*
1º) Flamengo x Torre (1915)
2º) Sport x Santa Cruz (1916)
3º) Santa Cruz x América (1921)
4º) Santa Cruz x Íris (1932)
5º) Santa Cruz x Varzeano (1933)
6º) Náutico x Santa Cruz (1934)
7º) Santa Cruz x Tramways (1935)
8º) Náutico x América (1944)
9º) Sport x América (1948)
10º) Sport x Náutico (1951)
11º) Sport x Porto (1998)
12º) Santa Cruz x Salgueiro (2015)
13º) Salgueiro x Sport (2017)
14º) Central x Náutico (2018)
* A lista considera a 1ª edição de cada formação. Sport x Santa, por exemplo, ocorreu outras 23x.

As finais mais repetidas no Estadual (até 2020)*
24x – Clássico das Multidões (Sport 12 x 12 Santa)
18x – Clássico dos Clássicos (Sport 12 x 6 Náutico)
16x – Clássico das Emoções (Náutico 9 x 7 Santa)
2x – Clássico da Amizade (América 1 x 1 Santa)
2x – Clássico da Técnica e da Disciplina (América 1 x 1 Náutico)
2x – Santa Cruz x Salgueiro (Santa 1 x 0; + 1 a disputar)
* Ainda ocorreram outras 8 finais distintas, com apenas uma edição cada

A seguir, o histórico completo dos doze clubes que já chegaram à decisão. Reforçando que o levantamento considera, obviamente, as decisões de fato. Como exemplo disso, 2009, o último ano sem final. O Sport ganhou o título num empate sem gols com o Náutico, nos Aflitos. Embora o timbu tenha sido o vice-campeão, aquele jogo foi válido pela última rodada do 2º turno, com o leão ganhando a competição de forma direta – pois também havia vencido o 1º. Logo, não contou.

47 finais – Santa Cruz
Campeão (24x) – 1932, 33, 35, 40, 46, 47, 57, 59, 69, 70, 71, 73, 76, 83, 86, 87, 90, 93, 95, 2011, 12, 13, 15 e 16
Vice (22x) – 1916, 17, 20, 21, 34, 49, 53, 60, 62, 74, 80, 84, 85, 89, 96, 99, 2000, 01, 02, 03, 04, 06
A definir – 2020

45 finais – Sport
Campeão (27x) – 1916, 17, 20, 48, 49, 53, 55, 61, 62, 75, 77, 80, 81, 88, 91, 92, 94, 96, 98, 99, 2000, 03, 06, 10, 14, 17 e 19
Vice (18x) – 1940, 51, 54, 57, 63, 65, 66, 68, 69, 71, 73, 86, 87, 90, 2011, 12, 13 e 16

37 finais – Náutico
Campeão (17x) – 1934, 50, 51, 54, 60, 63, 65, 66, 68, 74, 84, 85, 89, 2001, 02, 04 e 18
Vice (20x) – 1944, 46, 55, 59, 61, 70, 75, 76, 77, 81, 83, 88, 91, 92, 93, 94, 95, 2010, 14 e 19

5 finais – América
Campeão (2x) – 1921 e 44
Vice (3x) – 1947, 48 e 50

3 finais – Salgueiro
Vice (2x) – 2015 e 17
A definir – 2020

1 final – Flamengo do Recife
Campeão (1x) – 1915

1 final – Torre
3º lugar (1x) – 1915*
* O título foi decidido num triangular. Apesar de ter feito o jogo final, o Torre ficou em último no “Supercampeonato”. Trata-se de uma exceção. Em todas as outras edições do Super (57, 76, 81 e 83), o terceiro jogo envolveu de fato o campeão e o vice-campeão.

1 final – Íris
Vice (1x) – 1932

1 finais – Varzeano
Vice (1x) – 1933

1 final – Tramways
Vice (1x) – 1935

1 final – Porto
Vice (1x) – 1998

1 final – Central
Vice (1x) – 2018

Agora, o histórico de finais considerando apenas o formato atual do Estadual, em vigor desde 2010. Em todos os casos, com jogos em ida e volta – mudando apenas o critério de desempate. O Santa venceu as cinco que disputou, tendo o melhor aproveitamento. Agora, vai pra 6ª.

Ranking de finais disputadas (2010-2020)
1º) 8x – Sport (72,7%)
2º) 6x – Santa Cruz (54,5%)
3º) 4x – Náutico (36,3%)
4º) 3x – Salgueiro (27,2%)
5º) 1x – Central (9,0%)

Mais títulos em finais (2010-2019)
1º) 5x – Santa Cruz (50,0%)
2º) 4x – Sport (30,0%)
3º) 1x – Náutico (10,0%)

Mais vice-campeonatos em finais (2010-2019)
1º) 4x – Sport (40,0%)
2º) 3x – Náutico (30,0%)
3º) 2x – Salgueiro (20,0%)
4º) 1x – Central (10,0%)


Compartilhe!