Compartilhe!
  •  
  • 9
  •  
  •  

Uma visão geral do “CT 2” do Retrô Futebol Clube Brasil, em Aldeia. Foto: Retrô/Facebook.

A CBF divulgou a primeira lista de times com documentos válidos sobre o processo de “Certificado de Clube Formador” em 2021. Embora existam mais de 600 clubes profissionais em atividade, apenas 21 têm o documento em dia, sendo apenas três nordestinos.

Além de Ceará, há quatro anos na lista, e Fortaleza, que conseguiu o aval em 20 de outubro, a região conta com o Retrô, uma novidade neste processo. O clube-empresa de Camaragibe, fundado em 2016, foi o único pernambucano presente. Em termos de infraestrutura, a entrada era até esperada, pois é o objetivo da agremiação, que já recebeu cerca de R$ 35 milhões em investimento.

A receita foi injetada sobretudo no segundo centro de treinamento, numa área de 10 hectares em Aldeia, no Grande Recife. Para esta temporada, o clube está concluindo mais três campos oficiais. Ao todo, são 10 campos, sendo 5 com dimensões oficiais, com 105m x 68m. De acordo com o clube, a ideia é ter, em até cinco anos, um elenco profissional com 70% dos jogadores formados na base – em 2021, quando irá estrear na Copa do Brasil, já conta com nove.

A presença do Retrô contrasta com a ausência do trio de ferro, que foi saindo aos poucos. O cenário se repete em outros centros, exceção feita à capital do Ceará. A presença da dupla cearense é mais do que justificada a partir da organização administrativa de ambos nos últimos anos, com participações na Série A e orçamentos acima de R$ 100 milhões. Pelo mesmo motivo é estranho ver a ausência do Bahia, que saiu nesta atualização. Mesmo que seja apenas um entrave burocrático, não cabia. E o Sport alegou o mesmo em setembro, quando venceu o seu último certificado. Embora tenha dado entrada nos alvarás, laudos e certificado necessários, o leão segue sem o “CCF”. Entre os clubes de peso do país que ficaram de fora, chama a atenção o Atlético-MG, que acabou de conquistar o Brasileiro Sub 20 (?!).

Vale lembrar que entre os benefícios da certificação está o reforço sobre os direitos sobre atletas formados no clube, com a oficialização de contratos na base. Assim, facilita a burocracia para garantir a indenização sobre a saída de atletas entre 14 e 16 anos.

Os 21 clubes formadores com certificado atualizado em janeiro de 2021
CE (2) – Ceará e Fortaleza
GO (1) – Goiás
MG (2) – América e Dinamo
PE (1) – Retrô
PR (1) – Coritiba
RJ (3) – Botafogo, Flamengo e Fluminense
RS (2) – Grêmio e Internacional
SC (5) – Avaí, Chapecoense, Criciúma, Figueirense e Guarani
SP (4) – Guarani, Palmeiras, Santos e São Paulo

Exigências para o Certificado de Clube Formador
1) Técnicos e preparadores físicos exclusivos
2) Participação em competições oficiais
3) Programa de treinamento (local*, horários, faixa etária, atividade escolar etc)
4) Assistência educacional
5) Assistência médica
* Com laudos técnicos (Bombeiros, Vigilância Sanitária e alvará para uso do alojamento)

A redução pernambucana, de 6 pra 1
O certificado emitido pela confederação existe desde 2011. Em 2013, o futebol pernambucano chegou a ter seis clubes certificados, com a FPF viabilizando a presença até do interior. Porém, o Náutico está fora desde 10/2015, enquanto Santa Cruz, Salgueiro e Serra Talhada não conseguiram a renovação em 06/2018, com o Sport saindo em 09/2020. Agora, em 01/2021, quem saiu foi o Porto de Caruaru, que acabou substituído pelo Retrô, mantendo PE com um representante.

Leia mais sobre o assunto
Os centros de treinamento do G7 do Nordeste, em áreas de 8 a 54 hectares


Compartilhe!
  •  
  • 9
  •  
  •