Compartilhe!

A semifinal do Nordestão teve 22.483 pessoas, com limite de até 22.500. Agora, o nº dobrou.

Após dois anos, os estádios de Pernambuco podem voltar a receber 100% da capacidade de público, considerando as restrições sanitárias impostas no combate à pandemia da Covid-19. A Secretaria de Saúde do PE divulgou um novo decreto em 28 de março, desobrigando o uso de máscaras em locais abertos e ampliando a presença de público em eventos esportivos de 50%, o limite do decreto anterior, de dez dias atrás, para 100%, com gente vacinada. Não se via isso desde a primeira quinzena de março de 2020, antes da confirmação do primeiro caso no estado.

Agora, portanto, a capacidade de cada estádio vai de acordo com as restrições estruturais de cada um, a partir dos laudos técnicos de engenharia, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros – que impôs as maiores exigências em 2022. No caso de Pernambuco, isso faz com que, hoje, os três estádios particulares dos grandes clubes não possam comportar sequer 30% da capacidade máxima – abaixo, confira a setorização detalhada de cada local.

Já na Arena Pernambuco, que receberá o primeiro jogo da final da Copa do Nordeste, entre Sport e Fortaleza, em 31 de março, a presença de torcedores pode chegar a 45.500, a última medição oficial no empreendimento em São Lourenço. No dia 2 de abril haverá a semifinal do Campeonato Pernambucano, entre Náutico e Santa, a princípio nos Aflitos. Hoje, com menos de 5 mil lugares. Quase 10 vezes menos. O alvirrubro vem correndo para cumprir as melhorias solicitadas, mas caso não alcance penso que deveria cogitar a mudança de mando.

Cronologia da liberação nos estádios

Com a liberação total, no topo de uma evolução gradativa desde janeiro, após a redução da última onda, Pernambuco igualou os decretos dos governos dos estados vizinhos, com o Ceará em 4 de março e a Bahia em 19 de março. No caso cearense, com o Castelão sendo o palco do jogo de volta da decisão da Lampions, isso significa até 60 mil espectadores na arena.

Números da Covid-19 em Pernambuco

Nesses dois anos de pandemia, que infelizmente ainda não acabou, já foram 892 mil pernambucanos contaminados com o vírus, resultando em 21.366 mortes. Em relação à vacinação, com dados até 27 de março, 8,0 milhões de pessoas tomaram a 1ª dose. Deste montante, 6,7 milhões já tomaram a 2ª dose, com 2,9 milhões avançando já para a 3ª dose.

No papel, a capacidade máxima dos 8 maiores estádios de PE (sem restrições estruturais)
1º) 60.044 – Arruda (Recife)
2º) 45.500 – Arena Pernambuco (São Lourenço)
3º) 32.983 – Ilha do Retiro (Recife)
4º) 16.948 – Aflitos (Recife)
5º) 16.000 – Lacerdão (Caruaru)
6º) 12.500 – Ademir Cunha (Paulista)
7º) 12.070 – Cornélio de Barros (Salgueiro)
8º) 10.000 – Carneirão (Vitória de Santo Antão)*
* Fechado desde 2017 por falta de condições estruturais

A seguir, as atuais restrições estruturais nos estádios da capital. Esses, sim, os números reais.

Estádio dos Aflitos (Eládio de Barros Carvalho, do Náutico)
4.800 lugares liberados em 10/03/2022
28,3% do total (16.948 assentos)
31.613 pessoas, o recorde de público (em 1970)

A setorização máxima da casa alvirrubra, sem ressalvas:
3.530 – Cadeiras*
6.006 – Vermelho (arquibancada central)*
4.440 – Hexa (barra da Angustura)
2.048 – Caldeirão (barra do Country)
924 – Visitante
* Setores abertos, mas liberados parcialmente pelos Bombeiros

Estádio da Ilha do Retiro (Adelmar da Costa Carvalho, do Sport)
9.600 lugares liberados em 17/03/2022
29,1% do total (32.983 assentos)
56.875 pessoas, o recorde de público (em 1998)

A setorização máxima da casa rubro-negra, sem ressalvas:
1.438 – Camarotes*
5.311 – Cadeira central
2.050 – Cadeira de ampliação (Curva de Dubeux)*
2.076 – Assento especial (Curva de Wanderson)
3.500 – Sociais*
5.373 – Arquibancada frontal*
4.582 – Arquibancada lateral do placar
6.653 – Geral (tobogã da sede + arquibancada lateral da sede)
2.000 – Visitante (tobogã do placar)
* Setores abertos, mas liberados parcialmente pelos Bombeiros

Estádio do Arruda (José do Rego Maciel, do Santa Cruz)
7.250 lugares liberados em 18/03/2022
12,0% do total (60.044 assentos)
96.990 pessoas, o recorde de público (em 1993)

A setorização máxima da tricolor, sem ressalvas:
932 – Conselho/Tribuna/Camarotes
5.950 – Cadeiras*
7.300 – Sociais*
21.400 – Anel inferior*
24.462 – Anel superior
* Setores abertos, liberados parcialmente pelos Bombeiros


Compartilhe!