Compartilhe!

A festa alagoana em Maceió. Isolado no ataque, Mikael pouco fez. Foto: Francisco Cedrim/CRB.

A primeira apresentação do Sport em 2022 foi fraquíssima. Pra começar, a escalação contou com um time remendado, com desfalques a partir do protocolo para Covid-19 (Gustavo e Ewerthon) e poucos reforços à disposição. Dos dez contratados, apenas quatro jogaram. Embora parte do time do Brasileirão estivesse em campo, muitos garotos acabaram sendo acionados, ampliando o problema nesta largada.

Enquanto o CRB estreou com sete titulares de 2021, incluindo o bom meia Diego Torres, o Sport teve apenas quatro. A diferença no entrosamento foi visível, sobretudo no primeiro tempo, com o alvirrubro criando bem mais. É verdade que Maílson não foi tão exigido assim, mas a bola rondou bastante a sua área. E quando o mandante enxergou a dificuldade na infiltração, passou a arriscar de longe. Tudo bem que Denner, uma das novidades do leão, deu muito espaço, mas o mérito do também estreante Marcinho foi total. Ajeitou a bola, viu e mandou com efeito, no ângulo de Maílson.

O golaço aos 39 minutos seria definitivo, até porque o time alagoano, consciente deste início de temporada, tratou de trabalhar o resultado, travando bastante o jogo, que foi bem faltoso. Por sinal, foram várias infrações próximas à área, mas o visitante não aproveitou. O Sport teve um volume de jogo maior na retomada, mas sem uma melhora técnica proporcional.

Ou seja, era a bola no pé e pouca efetividade, circulando mais que o necessário, sem jogadores chamando a responsabilidade. Fora a tomada de decisão equivocada, como no último lance na abertura da Copa do Nordeste, aos 50 minutos. Num contragolpe, Juba não enxergou Mikael do lado e atrasou a passada. Deu em nada, CRB 1 x 0. Penúltimo lugar na Lampions de 2021, o leão já começa pressionado na edição de 2022, num filme repetido.

Escalação do CRB (melhores: Marcinho, Gum e Claudinei)
Diogo Silva; Reginaldo (Bryan), Gum, Gilvan e Guilherme Romão; Claudinei (Marthã), Yago (Jean Patrick) e Diego Torres; Maycon Douglas (Raul Prata), Marcinho e Nicolas Careca (Alan James). Técnico: Allan Aal

Escalação do Sport (melhor: Thyere; piores: Diego, Vanegas e Denner)
Maílson; Diego (Jaderson), Rafael Thyere, Renzo e Luciano Juba; Alê Santos, Denner (Adryan) e Pedro; Everton Felipe (Alan), Vanegas (Paulinho) e Mikael. Técnico: Gustavo Florentín

Histórico geral de CRB x Sport (todos os mandos)
44 jogos
19 vitórias rubro-negras (43,1%)
16 empates (36,3%)
9 vitórias alagoanas (20,4%)

A análise do Podcast 45 Minutos (do tempo 0h13 até 1h06):

Leia mais sobre o assunto
A premiação do Nordestão de 2022 será de R$ 31,56 milhões; confira as cotas

O ranking com os 30 clubes mais valiosos do Brasil; Sport é o 3º mais valioso do NE

Abaixo, assista aos melhores momentos do jogo, num vídeo do perfil da Copa do Nordeste.


Compartilhe!