Compartilhe!

Aplicativo do Todos com a Nota

Algumas imagens do primeiro modelo do aplicativo oficial, que deve chegar ao público em julho.

Já sancionado, o programa estatal “Todos com a Nota” será retomado já no Campeonato Brasileiro de 2022. Esta é a 3ª versão da campanha criada pelo governo de Pernambuco, com a troca de notas fiscais por ingressos em jogos de futebol. E terá, também, o 3º modelo de troca, atendendo a um sistema mais atual.

Em 1998, com Miguel Arraes, a campanha ocorria com a troca direta na bilheteria, na véspera dos jogos. O sistema seguiu assim nos primeiros anos com Eduardo Campos, a partir de 2007, sendo modernizado só em 2011, com a criação do cartão magnético personalizado, onde era possível acumular os pontos gerados pelas notas e “gravar” os ingressos subsidiados no estado, com a troca ocorrendo num ponto específico.

Agora, o torcedor irá utilizar um aplicativo, encomendado pelo governo à PS3 Prosoft, para o cadastro das notas, controle dos pontos, com R$ 1 valendo 1 ponto, e reservas dos ingressos, com 200 pontos valendo 1 entrada. A cada jogo, no máximo cinco bilhetes solicitados por CPF.

FPF irá integrar operação do TCN

O regaste desses bilhetes será feito numa parceria entre a direção do Todos com a Nota e a FPF, como já previa o texto do Projeto de Lei Ordinária 3467/2022: “Nos eventos esportivos na modalidade futebol profissional, o órgão responsável pela coordenação da Campanha poderá contratar a Federação Pernambucana de Futebol para execução das atividades relacionadas ao cadastro de interessados, à reserva e troca de ingressos, bem como aos repasses, aos clubes mandantes, dos valores correspondentes aos ingressos efetivamente trocados”.

A carga nos estádios, como Arruda, Ilha do Retiro, Aflitos e Arena Pernambuco, será especificada de acordo com a capacidade e com a demanda dos clubes. Por sinal, o usuário da campanha terá que escolher um clube no aplicativo, como já ocorria no modelo anterior, podendo reservar ingressos só para os jogos com mando do seu time do coração.

O caminho online para a reserva

O primeiro modelo do aplicativo foi lançado em 23 de junho para aparelhos Android, mas apenas para testes internos. O lançamento oficial deve ocorrer somente após os ajustes e também após a liberação do app para o sistema iOS. Além disso haverá a possibilidade de entrar no site oficial da campanha por um navegador de internet, com login e senha.

Apesar da oficialização da campanha no meio da temporada futebolística, a ideia é, segundo o coordenador do TCN, Gustavo Aguiar, atender ao menos a quantidade registrada na época da suspensão, no início de 2015. Eram 420.698 usuários ativos na Região Metropolitana do Recife. Considerando o ano de implantação daquele sistema, foram 200 mil adesões em 2011. Naquela ocasião foram 99 mil rubro-negros (49,5%), 58 mil tricolores (29,0%) e 43 mil alvirrubros (21,5%) E agora? Onze anos depois, o processo parte novamente do zero.

Nº de portadores de cartões magnéticos do TCN
2011 – 200 mil adesões na estreia
2012 – 100 mil adesões (total de 300 mil)
2013 – 67 mil adesões (total de 367 mil)
2014 – 53 mil adesões (total de 420 mil)

A divisão de usuários por clube na data suspensão do TCN
1º) 207.174 do Sport (49,2%)
2º) 124.372 do Santa Cruz (29,5%)
3º) 89.152 do Náutico (21,1%)

Leia mais sobre o assunto
No fim do mandato, Paulo Câmara sinaliza volta do Todos com a Nota em PE


Compartilhe!