Compartilhe!

A princípio, a obra deveria acabar ainda em 2020. Imagens: Prefeitura de Vitória/divulgação.

A última partida oficial no Carneirão, em Vitória de Santo Antão, foi em 1º de março de 2017, quando a Acadêmica Vitória perdeu do Serra Talhada por 1 x 0. Desde então, a falta de cuidado no gramado se estendeu ao estádio, que acabou abandonado. Em 2021, após quatro anos, o Estádio Severino Cândido Carneiro deverá voltar ao “mapa” do futebol local.

Hoje, a pergunta é se a reabertura irá acontecer a tempo de receber jogos do próximo Campeonato Pernambucano. Até porque o município volta a ter os seus dois clubes profissionais na 1ª divisão estadual após 11 anos. Após seguidos revezamentos, enfim Vitória e Vera Cruz disputarão juntos a Série A1 – o tricolor da tabocas permaneceu na elite e o Vera obteve o acesso. Considerando jogos oficiais, a última edição do “Clássico Vi-Ver” foi em 2013, na A2.

Hoje, ambos os clubes mandam os seus jogos na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata. Não exatamente por se tratar de um equipamento moderno, mas pela falta de um local à disposição na cidade de origem – inclusive, os públicos na arena nunca foram interessantes. Para voltar a jogar no estádio inaugurado em 3 de agosto de 1990, durante as festividades pelos 345 anos da “Batalha das Tabocas”, os rivais aguardam a conclusão da reforma e a liberação através dos laudos técnicos – prevenção e combate a incêndio (via Bombeiros), condições sanitárias e de higiene (via Vigilância Sanitária), Engenharia (via engenheiro ligado ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) e Segurança (via Polícia Militar).

Sobre a obra, a ordem de serviço foi assinada pelo prefeito Aglailson Júnior (PSB) em 9 de março de 2020. Orçado em R$ 2,699 milhões, tendo a FFJ Construtora à frente, o trabalho foi estimado em seis meses, com requalificação na drenagem do campo, vestiários, bilheterias, cabines de imprensa, arquibancadas, acessos, balcões de alimentação e iluminação – pelo tamanho da lista, o investimento parece insuficiente (a conferir). Indo além do projeto em 3D, presente no post, as obras começaram com a remoção do campo e da parte da arquibancada, com estrutura condenada por infiltrações. Contudo, a reforma ficou paralisada por 50 dias devido à pandemia, sendo retomada após a autorização do governo para a construção civil. Em tese, ainda daria tempo até o Estadual de 2021, que começará no fim de fevereiro.

Nesse meio tempo houve a eleição, com Paulo Roberto (MDB) superando o atual prefeito, 55% x 36%. Inclusive, a política pesou bastante sobre os portões fechados no Carneirão, um dos principais palcos do interior de PE, com capacidade para 10 mil torcedores – curiosamente, o fechamento ocorreu nos quatro anos da atual gestão, com reforma começando no fim do mandato. Política à parte, a repaginada é importante, considerando o peso do município na Zona da Mata, com 139 mil habitantes. E hoje com 2 times na elite, só abaixo da capital.

Até hoje foram 9 clássicos vitorienses, sempre no Carneirão. Em 2021, Carneirão ou Arena PE?

As edições do Clássico Vi-Ver no Estadual (5V do Vitória, 2V do Vera e 2E)
1º) 11/04/2004 – Vitória 1 x 0 Vera Cruz (A2)*
2º) 28/04/2004 – Vera Cruz 1 x 0 Vitória (A2)*
3º) 13/06/2004 – Vera Cruz 1 x 4 Vitória (A2)*
4º) 04/07/2004 – Vitória 3 x 0 Vera Cruz (A2)*
5º) 18/07/2004 – Vera Cruz 1 x 2 Vitória (A2)*
6º) 17/02/2010 – Vitória 3 x 2 Vera Cruz (A1)**
7º) 11/04/2010 – Vera Cruz 4 x 1 Vitória (A1)**
8º) 26/08/2013 – Vitória 0 x 0 Vera Cruz (A2)**
9º) 11/09/2013 – Vera Cruz 1 x 1 Vitória (A2)**
* Desportiva Vitória
** Acadêmica Vitória

A seguir, mais imagens do projeto de reforma do estádio municipal de Vitória de Santo Antão.

Leia mais sobre o assunto
O abandono do Carneirão, excluindo Vitória de Santo Antão do “mapa”


Compartilhe!