Compartilhe!

Os primeiros escudos da história de Santa Cruz e Náutico, relembrados em camisas especiais.

Os primórdios do futebol no Recife guardam histórias curiosas sobre um esporte flamejante e imerso no amadorismo. Detalhes essenciais eram relevados, como tempo de jogo e critérios de desempate. Num arranjo histórico, valendo a ponderação, encontra-se o primeiro duelo entre Santa e Náutico, com mais 100 anos de história, sendo o 15º clássico mais antigo do Brasil.

O jogo aconteceu 36 anos antes do apelido “Clássico das Emoções”, citado pela primeira em vez 1953. A rivalidade de fato começou em 29 de junho de 1917, no “ground” da Liga Sportiva Pernambucana, que hoje, com outro dono, atende pelo nome de Aflitos. E não foi a única partida do dia no novo campo. Foi o 5º dos 7 jogos envolvendo oito clubes! Como houve tempo? Justamente pela releitura da história. Naquela tarde houve o Torneio Associação das Damas de Beneficência, no intervalo do campeonato estadual, com três rodadas.

O blog mergulhou no acervo de jornais da época (Diario de Pernambuco, A Província e Jornal Pequeno), relembrando o pioneiro Clássico das Emoções. Entretanto, os relatos focam mais festa do que nas partidas, entre “35 e 40 minutos”, dependendo do periódico. Na ocasião, os clubes misturaram o “primeiro team” e o “segundo team”, vulgo reservas. Num sistema eliminatório, o clássico ocorreu na semifinal, com goleada coral. O Santa fez 3 x 0, com os autores dos gols não informados. Abaixo, a íntegra da reportagem original do DP. A impressão é de um texto repleto de erros (victoria, annunciado, atravez), mas era a grafia da época.

“A victoria do Santa Cruz”
“Realizou-se hontem, no vasto ground da Liga Sportiva Pernambucana, o annunciado torneio de foot-ball entre 8 clubs seus filiados, promovido pela Associação das Damas de Beneficencia em favor das crianças desvalidas. A festa que teve inicio pouco depois das 13 horas, revestio-se de desusado brilhantismo e grande animação, logrando uma concurrencia selecta e numerosa de familias e cavalheiros. Tomaram parte no torneio os seguintes clubs: Casa Forte, Sport, Torre, America, Nautico, Santa Cruz, Peres e Flamengo. O jogo transcorreu sempre muito animado, tendo sido valentemente disputado atravez lances admiraveis que mereceram prolongados applausos da escolhida assistencia. A victoria do torneio coube ao Santa Cruz, que fez jus, assim a artistica e valiosa estatueta de bronze que a Associação das Damas de Beneficencia instituira como premio ao club vencedor. O 2º lugar foi atribuido ao Sport.”

O jornal ainda trouxe a escalação das equipes durante a tarde, com as formações num incrível 2-3-5. Isso mesmo. Eram dois zagueiros, três meias e cinco atacantes.

Santa Cruz
Ilo; Mangabeira e Jorge; Castro, Theophilo e Manoel; Pitota, Sá, Tiano, Alberto e Anizio

Náutico
Nelson; Cazuza e Zé Maia; Amarinho, Davino e Bibi; Nadu, Fernando, Lopes, Ivan e Maximo

Não havia arquibancada, mas o público que cercou o campo foi numeroso, na base do “olhômetro”. Segundo A Província, “não exageramos dizendo que alli compareceram cerca de 2.000 pessoas, hontem”. O Jornal Pequeno foi além. “A grande assistencia, calculada em 5.000 pessoas, dispersou-se a passeiar em redor do campo emprestando-lhe um aspecto encantador”. O Jornal Pequeno foi o único a escrever alguma análise sobre o clássico: “Victoria dos tricolores sobre o Nautico pelo elevado score de 3 goals e 1 corner”.

Scout de escanteios? Acredite, era este o critério de desempate no torneio – uma tradição também no extinto Torneio Início. Ou seja, mesmo que o Náutico tivesse marcado três gols, seria eliminado por ter menos escanteios a favor. Por sinal, na estreia coral, contra o América, o número de corners foi o destaque: “os tricolores fortes, ageis e seguros conseguiram estabelecer um domínio completo sobre os americanos, arrancando-lhes a victoria pela diferença esmagadora de 6 corners e 1 goal contra 1 corner”.

A seguir, a tabela completa do Torneio Associação das Damas de Beneficência:

Quartas de final
Náutico 1 x 0 Casa Forte
Santa Cruz 1 x 0 América
Flamengo do Recife 0 x 0 Peres*
Sport 1 x 0 Torre
* O Fla passou porque teve um escanteio a favor

Semifinal
Náutico 0 x 3 Santa Cruz
Sport 1 x 0 Flamengo do Recife

Final
Santa Cruz 1 x 0 Sport

Links das primeiras notícias sobre o Clássico dos Clássicos (1909) e o Clássico das Multidões (1916).

Leia mais sobre o assunto
Os clássicos mais antigos do Brasil e os recordes de público de cada duelo

Quando surgiram os “nomes” dos clássicos nos jornais de Pernambuco

O retrospecto histórico do Santa Cruz com os jogos oficiais desde 1914

O retrospecto histórico do Náutico com os jogos oficiais desde 1909


Compartilhe!