Compartilhe!

As recomendações englobam campo de treino, academia, concentração e refeitórios.

A retomada dos treinos presenciais está autorizada pelo Governo de Pernambuco a partir de 15 de junho. Neste processo gradual de volta das atividades, que parece mais apressado do que os números da pandemia indicam, o futebol terá apenas atividades nos centros de treinamento, todos eles passando por um processo de desinfecção, com os jogos do Estadual ainda sem volta definida – a federação quer no fim de junho e os clubes querem só em julho, priorizando a preparação física.

Em relação aos treinos, os dez clubes do Campeonato Pernambucano de 2020 deverão seguir o protocolo elaborado pela FPF em 5 de junho, que contou com a participação do chefe médico da CBF (Jorge Pagura), dos diretores médicos de Náutico (Múcio Vaz), Santa Cruz (Antônio Maria Valente) e Sport (Stemberg Vasconcelos), além de infectologistas. O relatório, não divulgado até esta publicação, conta com mais de 20 medidas que devem ser adotadas em diversas áreas das atividades iniciais. O texto começou a ser articulado em 20 de abril.

Na ocasião, via videoconferência, a ideia partiu do modelo da Alemanha, que foi de fato um dos primeiros locais a liberar o futebol, com a Bundesliga já em disputa. De lá pra cá, quase 50 dias e algumas mudanças. Uma das principais não se refere diretamente ao protocolo, mas ao número de testes de Convid 19 que será bancado pela federação. Foi cortado pela metade, de 600 para 300. Ou seja, 30 para cada clube. Na prática, isso significa uma rodada de testagem. Em relação aos treinos, o número é no limite. A tendência é que seja necessária uma nova rodada antes dos jogos – até para checar a evolução dos grupos. Isso ainda será discutido, considerando a origem investimento – clubes ou federação. O teste será o sorológico, que detecta a presença de anticorpos IgM e IgG em pessoas expostas ao vírus SARS-CoV-2.

Vale destacar que novas medidas serão divulgadas para os jogos, focando, claro, os estádios.

Coronograma do governo estadual sobre a volta do futebol
Fase 1 (em 15/06) – Treinos presenciais
Fase 2 (sem data) – Jogos sem público
Fase 3 (sem data) – Jogos com público limitado
Fase 4 (sem data) – Novos protocolos em estudo

O blog teve acesso a alguns trechos do relatório da FPF. Destaco esses pontos:

“(…) a conveniência de concentrações próprias ou alojamentos, de preferência com área exclusiva e acesso restrito, o que a bem da verdade, como é cediço saber, já é prática comum e usual dos clubes. O mesmo procedimento adotado nos centros de treinamentos, utilização da desinfecção, será implementado nas concentrações e alojamento dos atletas.”

“Todas as condutas e orientações já referidas são estendidas aos espaços de uso comum, como refeitórios, vestiários, academia, transporte, fisioterapia, entre outras.”

“Em relação à postura dos atletas, quer nos treinamentos, quer nos jogos, fundamental que adotem a suspensão do cumprimento físico entre si, bem como a não realização de entrevistas presenciais para os veículos de comunicação, eliminando assim aglomerações e privilegiando o distanciamento preconizado pelas autoridades públicas.”

A seguir, as principais medidas do protocolo para a volta dos treinos em Pernambuco.

As medidas obrigatórias aos clubes
1) Aplicação do questionário epidemiológico, termo de consentimento livre e esclarecido e declaração médica (anexos 1, 2 e 3 do protocolo da FPF). Esses documentos foram criados pela CBF.

2) Exames clínicos dos próprios departamentos médicos dos clubes em todos os atletas e membros da comissão técnica.

3) Antes do início dos treinos, atletas e membros da comissão técnica deverão realizar testes contra o Covid 19. Ao todo, cada clube terá 30 testes disponibilizados (a FPF também irá bancar a testagem nos árbitros e assistentes pré-selecionados para os jogos restantes do PE).

4) Cada departamento médico irá fazer uma triagem de atletas para, caso necessário, realizar exames complementares. Além da possível determinação de isolamento.

5) Recomendação para que os treinos sejam “segmentados em períodos”. Num primeiro momento, a FPF sugere que os trabalhos sejam “escalonados” e “individualizados”. Na prática, atividades físicas. Depois, evoluindo para pequenos grupos e, enfim, aos treinos coletivos. Ou seja, um reinício em 3 etapas.

6) Deve ser evitada a participação de colaboradores com faixa etária avançada e/ou situação de risco. Neste caso seria recomendado, por exemplo, que o presidente do Sport, Milton Bivar, de 67 anos, não acompanhasse os treinos in loco.

7) Caso exista a necessidade de integração de novas pessoas às delegações, todas deverão passar pelos mesmos cuidados dos que iniciaram o trabalho de retomada.

8) Orientação sobre uso de lenços de papel para tosse e espirros, sobre o descarte de materiais, além de normas sobre tocar os olhos, nariz e boca.

9) Cada jogador deverá ter a sua própria garrafa de hidratação, que deverá ser higienizada a cada treino.

Recomendações para os departamentos médicos e de fisioterapia
10) Os profissionais da área de saúde deverão usar, obrigatoriamente, avental, máscaras e luvas para atendimento – com a troca das luvas a cada paciente examinado.

11) As macas deverão ser higienizadas ou cobertas de material descartável (que deverá substituído a cada paciente).

12) Suporte de álcool gel (70%) à disposição de todas as pessoas envolvidas no treinamento.

13) Num primeiro momento, dúvidas mais simples sobre lesões ou queixas junto aos médicos podem ser feitas via videoconferência.

Recomendações sobre a área da academia
14) Horários previamente estabelecidos para o uso dos equipamentos, de forma escalonada. Os equipamentos serão limpos pelos atletas com álcool gel (70%) logo após a utilização.

15) É altamente recomendável que os exercícios sejam feitos com o usos de máscara de proteção.

16) Distanciamento entre as pessoas dentro da academia.

17) Recomendável que a área se mantenha aberta e ventilada.

18) Em caso de presença de um orientador, este deve se apresentar de máscara e luvas.

Recomendação sobre os refeitórios
19) Os funcionários do refeitório devem estar com o equipamento de proteção individual completo.

20) As áreas utilizadas deverão ser higienizadas constantemente.

21) Deve-se evitar que pessoas fiquem frente a frente. Na mesa de refeição, as pessoas devem sentar-se lado a lado, com distância mínima de 1,5 metro.

Coronavírus no Brasil
Considerando os dados do Ministério da Saúde, até 8 de junho, são 710 mil casos confirmados e 37,3 mil óbitos no país. Em Pernambuco, no mesmo período, são 40 mil pessoas infectadas e 3,3 mil óbitos. E a curva da pandemia ainda não se estabilizou de forma segura…

Leia mais sobre o assunto
Governo de Pernambuco cria cronograma sobre volta do futebol em 4 fases. Largada em junho

Análise: O possível sucesso na volta da Bundesliga não é parâmetro para o futebol no Brasil


Compartilhe!