Compartilhe!
  •  
  • 4
  •  
  •  

O Maracanã é um dos nove estádios brasileiros licenciados e digitalizados no PES 2020.

O “E-Brasileirão” foi criado em 2016, através da parceria entre a CBF e a Konami, que adquiriu o licenciamento do Campeonato Brasileiro, incluindo clubes, bolas e estádios para o game Pro Evolution Soccer. Chegando à 5ª edição, com novo recorde de inscritos (mais de 37 mil), a competição virtual foi ampliada. Em vez de uma fase final com os representantes de cada clube divididos em chaves, haverá a disputa de um turno completo.

Ou seja, serão 19 rodadas, com a transmissão de alguns jogos – todos no Playstation 4 – através do canal oficial do evento no Youtube. Pelo regulamento, só a última rodada será presencial, em data a definir, seguindo com o formato clássico com quartas de final, semifinal e final. Com o futebol parado e sem previsão concreta de volta, devido à pandemia do Coronavírus, o torneio de 2020 pode atender, em parte, a uma demanda reprimida do público – inclusive (ou coincidentemente), a disputa foi antecipada, pois costuma ocorrer só no fim do ano. Em 9 de abril, já na quarentena, a federação cearense promoveu um torneio com Ceará, Fortaleza e Ferroviário, com 52 mil visualizações nos 5 jogos realizados em 3 horas. Imagine isso em escala nacional e com mais partidas. Pois é.

Nas últimas semanas, por exemplo, houve um torneio organizado pela Fifa, o “E-Nations Cup”, com jogadores profissionais envolvidos, como Sérgio Agüero e Everton Ribeiro. Na decisão, o Brasil venceu a Argentina, com transmissão no SporTV. Depois disso, a Globo organizou um torneio com alguns atletas brasileiros, com partidas na tevê paga e na tevê aberta. À parte de poucas competições, como a Bundesliga, faltam eventos futebolísticos “ao vivo” no momento.

Game permite ampliação do campeonato nacional
O Pro Evolution Soccer 2020 foi lançado em setembro de 2019. Cinco meses depois, em fevereiro, chegou a 4ª atualização do jogo, o “Data Pack 4.0”, que atualizou a lista de times na Série A da temporada e incluiu os clubes da Série B – entre os 40 times brasileiros, 10 do Nordeste. Logo, caso quisesse, a CBF poderia ter feito um torneio nacional, em âmbito online, ainda mais amplo.

Nº de jogadores inscritos para o E-Brasileião 2020*
1º) 4.096 – Flamengo
2º) 3.472 – São Paulo
3º) 2.508 – Palmeiras
4º) 2.321 – Santos
5º) 2.314 – Corinthians
6º) 2.068 – Grêmio
7º) 2.002 – Vasco
8º) 1.891 – Internacional
9º) 1.721 – Bahia
10º) 1.647 – Coritiba
11º) 1.603 – Sport
12º) 1.483 – Atlético-MG
13º) 1.475 – Ceará
14º) 1.390 – Fluminense
15º) 1.388 – Athletico-PR
16º) 1.387 – Botafogo
17º) 1.363 – Goiás
18º) 1.345 – Fortaleza
19º) 1.276 – Red Bull Bragantino
* O limite é de 6.144 vagas por clube, sendo 4.096 vagas abertas e 2.048 vagas para sócios.

Total de inscritos no E-Brasileirão
2016 – 9.627
2017 – 14.351
2018 – 18.263
2019 – 24.397
2020 – 37.743

Os campeões de cada edição (e os vices)
2016 – Santos (Cruzeiro)
2017 – Cruzeiro (Atlético-GO)
2018 – Cruzeiro (Botafogo)
2019 – São Paulo (Fortaleza)

Leia mais sobre o assunto
Os uniformes e níveis dos nordestinos licenciados na 1ª versão do PES 2020

Sem futebol na quarentena, federação cearense promove 1º Estadual digital


Compartilhe!
  •  
  • 4
  •  
  •