Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

O camisa 9 do alvirrubro já soma 5 gols no Estadual. Foto: Tiago Caldas/Náutico.

O Náutico voltou a vencer no Campeonato Pernambucano e segue com 100% de aproveitamento na edição de 2021, assim como o Salgueiro, mas com ampla vantagem no saldo de gols, +6 vs +2. Sobre este critério, uma influência enorme do atacante Kieza, que marcou cinco dos seis gols alvirrubros até o momento. Após balançar as redes quatro vezes na estreia, o K9 também decidiu o jogo no Lacerdão, em Caruaru, diante do Sete de Setembro – apesar do óbvio mando alviverde em Garanhuns, o gramado do Gigante do Agreste foi vetado pela FPF.

Numa partida com sol forte, iniciada às 15h, o timbu precisou dosar as energias, ao contrário do início a 100 km/h diante da patativa. Desta vez, abriu o placar “só” aos 31 minutos. Jean Carlos cobrou uma falta, Vinícius desviou de cabeça e Kieza pegou o rebote. Somando as três passagens no clube de Rosa e Silva, o atacante já contabiliza 59 gols em 108 partidas, com uma boa média de 0,54. Em relação à artilharia desta edição do PE, Kieza já tem três gols a mais que os vice-líderes, Mayco Félix (Retrô) e Leozão (Salgueiro).

Especificamente sobre o desempenho, desta vez a atuação do Náutico não foi de imposição, até porque o adversário deu muito mais trabalho. O lobo guará pressionou no segundo tempo, acertou a trave com Nego de Brejão e ainda exigiu uma grande de defesa de Alex Alves (até então bem inseguro) aos 46 minutos. Enquanto isso, alvirrubro cansou de desperdiçar contragolpes, irritando Hélio dos Anjos. O apito final trouxe a liderança, mas a tendência é que o treinador promova ajustes, sobretudo pelas duas semanas de calendário livre, de maneira forçada. Fora das copas, o timbu só volta a jogar em 21 de março, contra o Vera Cruz.

Recorde na artilharia?
A partir da forte produção inicial de Kieza, vislumbrando uma marca expressiva, vale relembrar o recorde de gols no Pernambucano. No caso, a marca é de 40 gols numa edição, registrada em três anos seguidos! Em 1982 e 1983 com Baiano, do Náutico, e em 1983 com Luís Carlos, do Sport. Considerando que os times devem jogar até 13 vezes em 2021, esta artilharia parece inalcançável.

Timbu mantém tabu no confronto
Com a vitória, o Náutico manteve um tabu de 36 anos sem derrota para o Sete de Setembro – a última foi em 4 de agosto de 1985, quando o clube do interior fez 1 x 0 no Recife. A vantagem alvirrubra no confronto é considerável, vencendo em 85% dos jogos. Porém, o duelo não acontecia desde 14 de março de 2010, quando timbu venceu por 3 x 2, em Garanhuns, também pelo PE.

Escalação do Sete de Setembro (melhor: Nego de Brejão)
Neneka; Pelezinho, Vinícius Gusmão (Williams Luz), Moisés Potiguar e Léo Moraes (Genildo); Renan Costa, Lucas Gomes, Diogo Capela (Raniel) e Alexon (Keyllo Mancha); Rodrigo (Nego de Brejão) e Luciano Grafite. Técnico: Carlos Júnior

Escalação do Náutico (melhores: Kieza, Jean Carlos e Marciel)
Alex Alves; Williams Bahia, Camutanga, Ronaldo Alves e Bryan; Djavan (Marciel), Rhaldney e Jean Carlos (Luiz Henrique); Vinícius (Giovanny), Erick (Álvaro e depois Júlio) e Kieza. Técnico: Hélio dos Anjos

Histórico geral de Sete de Setembro x Náutico (todos os mandos)
42 jogos
36 vitórias alvirrubras (85,7%)
4 empates (9,5%)
2 vitórias alviverdes (4,7%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Clauber Santana, João de Andrade e Rodolpho Moreira):

Leia mais sobre o assunto
Fora das Copas (NE e BR), o Náutico projeta orçamento de 2021 com redução de 39%

As folhas dos dez clubes do Pernambucano de 2021 somam R$ 4,27 milhões


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •