Compartilhe!

Nildo, Kuki, Wallace, Adriano e Muricy. Foto: Roberto Fernandes/instagram

A festa foi completa nos Aflitos. A torcida do Náutico chegou logo cedo, movimentando o bairro como fez durante toda a vida, encheu o estádio, quebrando o recorde de bilheteria em Pernambuco, viu a despedida de um de seus maiores ídolos e ainda terminou o domingo vencendo, com a Taça Gena nas mãos. Novas (e boas) lembranças na velha casa.

Sob o olhar de 17.357 alvirrubros, o clube recolocou o seu estádio no cotidiano do futebol local, quebrando um hiato de cinco anos. Para aproveitar a data, após dois anos de reforma nos Aflitos, o Náutico reuniu vários jogadores que se destacaram no clube, sobretudo no período entre 1999 e 2007 – e até treinadores, como Muricy Ramalho, bicampeão estadual. Todos eles juntos na preliminar em homenagem ao atacante Kuki.

Com 387 partidas, o baixinho é o recordista do clube. De fato, merecia vestir a camisa pela “388ª vez”. No jogo comemorativo, ambos os times jogaram com o padrão do Náutico, com a figura principal integrando o time listrado – este, com o reforço de Jorge Henrique, contratado para a equipe principal, em 2019. Porém, foi a equipe branca que abriu o placar, com Geraldo, meia no Brasileirão de 2007. Ainda no 1T, Thiago Tubarão, a antiga dupla no título estadual de 2001, empatou e Kuki virou, com 2 gols – sendo festejado pelos duas equipes. No 2T, Acosta, eleito para a seleção da Série A em 2007, marcou mais um para o timbu de branco, com o jogo (com cara de atração principal) terminando 3 x 2.

Na sequência, o amistoso contra o Newell’s Old Boys, que veio após a parada no campeonato argentino – é o 13º colocado entre 26 times, com 15 rodadas disputadas. Se o alvirrubro ainda está em formação, o adversário contou com reservas e atletas da base. Ainda assim, a partida foi bem disputada, com o visitante buscando o empate até o anoitecer. Afinal, o timbu abriu o placar logo aos 3 minutos. O gol da reabertura coube ao atacante Thiago, de 17 anos. Em sua primeira partida como profissional, escorou uma jogadaça de Wallace Pernambuco, de volta após o empréstimo ao Brasil de Pelotas. O Newell’s ainda acertaria a trave duas vezes, mas ficou nisso. Náutico 1 x 0, ganhando o troféu com o nome do lateral-direito hexacampeão nos anos 60, quando jogou bastante nos Aflitos. Tudo o que a torcida espera para o presente…

Time do Náutico
Bruno (Luiz Carlos); Joazi (Hereda), Camutanga, Diego e Assis; Josa, Rhaldney, Lucas (Allan Patrick) e Luis Felipe (Rafael Assis); Wallace Pernambucano (Tharcysio) e Thiago. Técnico: Márcio Goiano

Jogos internacionais do Náutico nos Aflitos (4V, 3E e 1D)
1º) 06/12/1951 – Náutico 2 x 3 Vélez Sarsfield (Argentina)
2º) 31/07/1952 – Náutico 2 x 2 Sporting (Portugal)
3º) 28/12/1952 – Náutico 2 x 2 Chacarita Juniors (Argentina)
4º) 16/07/1957 – Náutico 2 x 0 Wanderers (Uruguai)
5º) 12/01/1968 – Náutico 2 x 0 Seleção da Argentina (olímpica)
6º) 21/02/1988 – Náutico 1 x 1 Schaffhausen (Suíça)
7º) 28/02/1996 – Náutico 3 x 0 Freienbach (Suíça)
8º) 16/12/2018 – Náutico 1 x 0 Newell’s Old Boys (Argentina)

O gol da vitória sobre os argentinos. Foto: Léo Lemos/Náutico


Compartilhe!