Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

Os finalistas. No turno, com ambos já classificados e com o timbu desfalcado, deu Sport, 3 x 0.

Em 2021, o Campeonato Pernambucano chega à definição do título com uma final propriamente dita pela 73ª vez em 107 anos. Neste cenário, alvirrubros e rubro-negros decidem a competição pela 19ª vez, alimentando a tradicional rivalidade, já com 112 anos e 555 partidas disputadas – e alguns tabus. Nesta edição, o Clássico dos Clássicos reúne, de fato, as duas melhores equipes (e campanhas), agora confrontadas num duelo em ida e volta, o único previsto no regulamento.

Os jogos estão marcados para os dias 16 e 23 de maio, em dois domingos à tarde – pelo segundo ano seguido, uma decisão local de portões fechados, como prevenção sanitária à Covid-19. A princípio, ida na Ilha do Retiro e a volta nos Aflitos, devido à melhor a campanha dos alvirrubros. Entretanto, pode haver mudança para a Arena Pernambuco por causa do estado dos gramados dos dois estádios particulares. Na semifinal, por sinal, os dois jogos foram modificados de última hora para São Lourenço por este motivo.

Em relação ao futebol praticado, o Náutico vem embalado pela campanha de oito vitórias em dez jogos, além do poder ofensivo, com o trio de ataque marcando 19 dos 26 gols do times – superior à soma do rival, por exemplo. Já o Sport subiu o rendimento a partir da utilização do time principal e dos reforços, num período posterior às eliminações no Nordestão e na Copa do Brasil. Embora não tenha ido bem na semi, são cinco jogos sem ser vazado. Ao todo, o leão busca o 43º título pernambucano, enquanto o timbu tenta o 23º. A definição deste título, por sinal, coloca em jogo o maior tabu vigente em relação aos clássicos do Recife…

A final pernambucana de 2021 (e as transmissões na TV)*
16/05 (16h00) – Sport x Náutico (Arena Pernambuco), Globo e Premiere
23/05 (16h00) – Náutico x Sport (Aflitos), Globo e Premiere
* Atualização em 14/05, com mudança na ida, da Ilha pra Arena, devido às fortes chuvas

As campanhas dos finalistas (após 10 jogos)
25 pontos – Náutico (8V, 1E e 1D; +14; 26 GP e 12 GC)
23 pontos – Sport (7V, 2E e 1D; +13; 17 GP e 4 GC)

Nesta disputa, os times de Hélio dos Anjos e Umberto Louzer têm alguns tabus para serem quebrados – ou, naturalmente, mantidos. A seguir, cinco observações sobre o cenário.

1) Em 18 finais no Estadual, o leão tem uma boa vantagem, com 12 x 6 em títulos. O curioso é que o timbu chegou a ficar bem à frente, com 6 x 2, mas perdeu todas as finais a partir de 1975.

2) Caso conquiste o título, o Sport será campeão numa final diante do Náutico pela 11ª vez seguida.

3) Caso conquiste o título, o Náutico voltará a vencer o rival numa decisão depois de 53 anos. A última foi em 1968, na disputa que valeu o ainda exclusivo hexacampeonato.

4) A princípio, o jogo de volta é nos Aflitos, que já recebeu 15 finais. O Náutico não comemora um título em casa desde 1974. De lá pra cá, ganhou sete títulos estaduais, sendo seis no Arruda e um na Arena Pernambuco. Também ganhou a Série C do Brasileiro, em 2019, no Castelão, em São Luís.

5) O Sport não levanta a taça numa final no estádio em Rosa e Silva desde 1975, justamente na última decisão por lá. Já o último título leonino comemorado nos Aflitos foi em 2009, mas ganhando o torneio por antecipação, no formato de turnos.

Qual a sua opinião sobre a final do campeonato? Pitaco do blog, sem muro: Sport.

Histórico de finais entre Náutico e Sport (entre parênteses, o scout de títulos)
1ª) 1951 – Náutico (N 1 x 0) – 3 x 1, 1 x 1 e 1 x 0
2ª) 1954 – Náutico (N 2 x 0) – 2 x 2, 3 x 2 e 1 x 1
3ª) 1955 – Sport (N 2 x 1) – 2 x 0, 0 x 0 e 3 x 2
4ª) 1961 – Sport (2 x 2) – 2 x 1, 0 x 0 e 3 x 2
5ª) 1963 – Náutico (N 3 x 2) – 3 x 2 e 4 x 2
6ª) 1965 – Náutico (N 4 x 2) – 2 x 0 e 2 x 0
7ª) 1966 – Náutico (N 5 x 2) – 2 x 0, 1 x 1 e 5 x 1
8ª) 1968 – Náutico (N 6 x 2) – 1 x 0, 2 x 3 e 1 x 0
9ª) 1975 – Sport (N 6 x 3) – 1 x 0
10ª) 1977 – Sport (N 6 x 4) – 0 x 1, 2 x 0, 0 x 0 e 1 x 1
11ª) 1981 – Sport (N 6 x 5) – 2 x 0
12ª) 1988 – Sport (6 x 6) – 1 x 0 e 4 x 1
13ª) 1991 – Sport (S 7 x 6) – 3 x 3 e 3 x 0
14ª) 1992 – Sport (S 8 x 6) – 0 x 1 e 1 x 0
15ª) 1994 – Sport (S 9 x 6) – 1 x 0 e 2 x 0
16ª) 2010 – Sport (S 10 x 6) – 2 x 3 e 1 x 0
17ª) 2014 – Sport (S 11 x 6) – 2 x 0 e 1 x 0
18ª) 2019 – Sport (S 12 x 6) – 1 x 0 e 1 x 2 (4 x 3 nos pênaltis)
19ª) 2021 – A disputar

Considerando o histórico somente do período a partir da criação do sistema de semifinal e final, em 2010, eis o número de decisões no Campeonato Pernambucano após 12 edições.

Nº de finais no Pernambucano de 2010 a 2021 (24 vagas; 5 clubes)
1º) 9x – Sport
2º) 6x – Santa Cruz
3º) 5x – Náutico
4º) 3x – Salgueiro
5º) 1x – Central

Nº de títulos no Pernambucano de 2010 a 2020 (11 taças; 4 clubes)
1º) 5x – Santa Cruz
2º) 4x – Sport
3º) 1x – Náutico e Salgueiro

Leia mais sobre o assunto
Náutico vence o Santa na Arena, quebra tabu e vai à final do PE; 3ª vez em 4 anos

Sport vence Salgueiro na Arena e vai à final do Estadual; 9ª presenças em 12 anos

As voltas olímpicas no Campeonato Pernambucano, do British Club ao Sertão


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •