Compartilhe!

A inédita festa da fênix nos Aflitos diante do alvirrubro. Foto: Retrô FC/Instagram.

Após vencer o Sport pela primeira vez, o Retrô venceu o Náutico pela primeira vez, numa sequência que deixa o clube-empresa de Camaragibe com o melhor rendimento no Campeonato Pernambucano. O time soma três vitórias em três jogos, sendo o único a se manter 100%. Na tabela, aparece em 2º lugar, atrás do Santa e apenas pelo saldo de gols (+6 vs +3), mas os corais têm um jogo a mais, contabilizando ainda uma derrota, curiosamente nesta noite.

Quanto à fênix, o maior investimento neste ano começa a dar resultado. Após o fiasco em 2021, quando ficou de fora da fase final e não obteve a vaga na Série D, o objetivo do clube, a folha neste ano subiu para R$ 250 mil, com a possibilidade de chegar a R$ 450 mil a partir de três gatilhos: vaga na Série D, vaga na Copa do Brasil e título. Com algumas rodadas disputadas, a última meta no PE 2022 já deixa de ser descabida. Pelos pontos obtidos e pelo futebol jogado, sendo melhor que Sport e Náutico em boa parte dos confrontos.

Contra o atual campeão estadual, que primeira vez na temporada contou com os seus dois principais nomes, Jean Carlos e Kieza, o visitante abriu o placar com Giva, ex-Náutico, aos 6 minutos do 2º tempo. Tomou o empate aos 43, que seria uma ducha de água fria considerando os dois ótimos lances desperdiçados por Fumaça pouco antes.

Contudo, no último lance, já aos 48, Camutanga cometeu um pênalti com a mão na bola – o beque há havia cometido outra penalidade recentemente, no clássico pela Lampions. Na cobrança, Renato Henrique. Camisa 10, campeão pernambucano pelo Salgueiro e outra cria do Náutico a virar algoz. Bateu firme e definiu mais um capítulo importante para o caçula do futebol pernambucano, com o 2 x 1. E o meia chegou a 4 gols no PE, se isolando na artilharia. Perceba que o Retrô começou a competição com números importantes. Vale ficar atento…

Escalação do Náutico (melhor: Carpina; piores: Camutanga, Djavan e Tavares)
Lucas Perri; Hereda, Camutanga, João Paulo e Júnior Tavares; Djavan (Eduardo Teixeira), Richard Franco (Rhaldney) e Jean Carlos (Juninho Carpina); Leandro Carvalho (Pedro Victor), Robinho (Ewandro) e Kieza. Técnico: Hélio dos Anjos

Escalação do Retrô (melhores: Renato Henrique e Pedro Costa; pior: Fumaça)
Jean; Pedro Costa (Augusto Potiguar), Renan Dutra, Guilherme Paraíba e Mayk; Charles, Kauê (Gelson) e Radsley (Rodrigo Fumaça); Gustavo Ermel (Breno), Renato Henrique e Giva (Yuri Bigode). Técnico: Dico Woolley

Os três duelos na história, todos pelo Estadual (1V do timbu, 1E e 1V da fênix)
1º) 08/03/2020 – Náutico 2 x 2 Retrô (Aflitos)
2º) 11/04/2021 – Retrô 1 x 4 Náutico (Arena PE)
3º) 09/02/2022 – Náutico 1 x 2 Retrô (Aflitos)

Leia mais sobre o assunto
As folhas dos clubes do Pernambucano 2022 somam R$ 3,63 milhões, com 19% no Náutico

O ranking com os 30 clubes mais valiosos do Brasil; Náutico é o 6º mais valioso do NE


Compartilhe!