Compartilhe!

No voto popular, o campeão regional arrastou os prêmios da lista oficial da Lampions.

O Bahia dominou a seleção oficial da Copa do Nordeste de 2021. O tetracampeão emplacou 7 dos 11 jogadores, além do técnico Dado Cavalcanti, numa lista divulgada pela Liga do Nordeste dois dias após o triunfo obtido no Castelão. Com isso, o tricolor recuperou a liderança sobre a quantidade de atletas premiados na história do torneio, considerando as seleções desde 2013. Após ser ultrapassado pelo Ceará na edição passada, o Baêa devolveu o “X” e passou no limite, 21 x 20. Apesar do domínio tricolor na lista de 2021, o recorde de indicados segue em oito atletas, nas três edições anteriores, em 2018 (Sampaio), 2019 (Fortaleza) e 2020 (Ceará).

Em relação ao time montado nesta edição, a formação escolhida pelos organizadores foi o 4-4-2, em vigor pelo segundo ano. Se a defesa alvinegra era o ponto alto, até mesmo pelos poucos gols sofridos, o desempenho na reta final reconfigurou o cenário, com o Bahia tendo 5 dos 4 jogadores do sistema defensivo – Messias, do vozão, foi a exceção, considerando goleiro, zagueiros e laterais. Pelo Bahia, o lateral Nino teve o maior percentual de votos nas enquetes, com 78,3%. Outrora contestado, o ala de 35 anos teve, de fato, um ótimo desempenho.

Quanto ao vice-campeão, foram três jogadores. Além de Messias, foram lembrados Charles (expulso no jogo de ida da final) e Felipe Vizeu, que considero a maior surpresa na lista. Os outros dois atacantes indicados na enquete, Dellatorre (CSA) e Samuel (Vitória), foram melhores no torneio – Gilberto, claro, liderou. Por fim, a presença do Confiança. O campeão sergipano emplacou um nome na seleção pela primeira vez. E foi justamente na enquete mais disputada, para os meias, com 14 mil votos. A disputa teve a seguinte ordem: 1) Bruninho (Confiança, 46,1%), 2) Rodriguinho (Bahia, 44,9%), Mendoza (Ceará, 8,0%) e Diego Torres (CRB, 0,9%). Nota-se que Vina, o craque de 2020, sequer foi finalista na enquete.

A seleção oficial da Lampions teve vários critérios entre 2013 a 2017, como voto popular e votos de jornalistas. Desde 2018 a escolha passou a ser exclusivamente popular, através de enquetes lançadas pelo perfil oficial da Copa do Nordeste no Twitter. Neste ano, cada posição teve quatro opções previamente definidas pelos organizadores. Assim, o engajamento, mais uma vez, fez a diferença. As perguntas ficaram abertas durante um dia, com 58.546 votos ao todo, num aumento de 153% em relação à votação anterior, com 23.120 votos. Em relação ao futebol pernambucano, foi a quarta ausência seguida na lista dos melhores – e o estado havia sido premiado nas edições anteriores. E nem há contestação, pois ninguém passou de fase.

A seguir, a seleção do Nordestão de 2021 e o percentual de votos dos escolhidos.

A seleção oficial (formação 4-4-2)
Matheus Teixeira (Bahia, 69%); Nino Paraíba (Bahia, 78%), Conti (Bahia, 67%), Messias (Ceará, 16%) e Matheus Bahia (Bahia, 63%); Patrick (Bahia, 66%), Charles (Ceará, 21%), Bruninho (Confiança, 46%) e Rodriguinho (Bahia, 44%); Gilberto (Bahia, 74%) e Felipe Vizeu (Ceará, 12%).

Melhor técnico: Dado Cavalcanti (Bahia, 64%)

Nº de premiações na Seleção Oficial do NE de 2013 a 2021 (99 prêmios; 12 clubes)*
1º) 21x – Bahia
2º) 20x – Ceará
3º) 13x – Sport
4º) 10x – Fortaleza
5º) 9x – Campinense e Sampaio Corrêa
7º) 7x – Santa Cruz
8º) 4x – Vitória
9º) 2x – ASA e Botafogo
11º) 1x – Confiança e CSA
* Considerando apenas os 11 jogadores de cada edição

Nº de premiações para Craque do NE de 2013 a 2021 (9 prêmios; 7 clubes)*
1º) 2x – Bahia e Ceará
3º) 1x – Campinense, Fortaleza, Sampaio Corrêa, Santa Cruz e Sport
* Atualização em 11/05: Gilberto, do Bahia, foi eleito o craque de 2021.

Leia mais sobre o assunto
Gilberto, o melhor jogador da Copa do Nordeste de 2021. Campeão e artilheiro

Todas as seleções oficiais na história da Copa do Nordeste, de 2013 a 2021

Com buscada histórica, Bahia broca o Ceará no Castelão e vira, enfim, tetra do Nordeste


Compartilhe!