Compartilhe!

O Atletiba, o principal clássico paranaense, decidiu o título estadual 5 vezes nesta década.

O Campeonato Paranaense é, proporcionalmente, a competição estadual de maior redução em relação às cotas de transmissão, numa oscilação contínua. Já são cinco anos com modelos contratuais distintos, tanto no nº de clubes firmados quanto no formato de exibição.

Em 2016, com 12 clubes e 80 jogos, a receita de tevê chegou a R$ 8 milhões. Na ocasião, com transmissão aberta para todo o estado e jogos no Premiere, o pay-per-view do Grupo Globo. Em 2020, também com 12 clubes e 80 partidas previstas, a receita total é de R$ 4,44 milhões – numa redução nominal de 44,5%. Considerando a correção inflacionária daquela cota de 2016, o valor hoje seria de R$ 9,84 milhões, expondo ainda mais a desvalorização da competição – não por acaso, o Athletico já deixou de assinar 2x, enquanto o Coritiba jogou 1x sem jogos na televisão.

Nesta temporada, segundo a Folha de Londrina, a Globo ofereceu R$ 2 milhões, menos da metade de 2019 – dando a entender que o objetivo era não fechar. Os clubes não toparam e buscaram uma alternativa, negociando com DAZN, empresa de streaming em operação no país desde maio de 2019 – responsável pela transmissão da Série C. O acordo foi anunciado pela federação em 16 de dezembro. E a cota será igualitária, R$ 370 mil – é a segunda vez que isso acontece, embora num valor menor, pois em 2019 o repasse foi de R$ 450 mil. Embora a cota não seja alta, o bolo é maior que qualquer Estadual do NE, por exemplo (PE paga R$ 4 mi).

A DAZN irá transmitir 54 partidas do Estadual, ou 67,5% de toda a tabela. O recorde anterior no Paraná havia sido justamente na edição mais endinheirada, em 2016, com 45 partidas, ou 56,2% do total. Vale a observação sobre o contrato focado no “streaming”. Há tempo de uma reviravolta com a RPC, a afiliada da Globo, para a “aberta”? A conferir.

Campeonato Paranaense de 2020 // Contrato: DAZN (2020)
-Plataforma: streaming (via internet)
-Alcance da TV aberta: PR (11,11 milhões de telespectadores)
-12 clubes (de 11 a 17 jogos para qualquer participante*)
* Turno único, quartas, semi e final.

Cota de TV: R$ 4,44 milhões
Premiação: nada

Cota 1 (12 times) – R$ 370 mil (Athletico, Cascavel Recreativo, Cascavel, Cianorte, Coritiba, Londrina, Operário, Paraná Clube, PSTC, Rio Branco, Toledo e União)

A evolução da cota total de TV no Paraná
2016 – R$ 8,00 milhões (aberta e PPV)
2017 – R$ 4,00 milhões (aberta e PPV)*
2018 – R$ 4,70 milhões (aberta)**
2019 – R$ 5,40 milhões (aberta)
2020 – R$ 4,44 milhões (streaming)
* Sem Athletico e Coritiba; a Globo oferece R$ 6,00 milhões com os dois
** Sem o Athletico

Audiência da final de 2019 na tevê aberta*
14/04 – Toledo 1 x 0 Athletico (18,9 pontos; 688.000 telespectadores)
21/04 – Athletico (6) 1 x 0 (5) Toledo (23,3 pontos; 801.000 telespectadores)
* Via Ibope-Repucom, na Grande Curitiba

Confira a análise de outros Estaduais em 2020: BA, MGCE, PE, RS e SP.


Compartilhe!